Página inicial

Salões & Prêmios

 


outubro 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        
Pesquise em
salões & prêmios:

Arquivos:
outubro 2017
agosto 2017
julho 2017
junho 2017
maio 2017
abril 2017
março 2017
dezembro 2016
novembro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
maio 2016
abril 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
janeiro 2015
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
dezembro 2010
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
janeiro 2006
dezembro 2005
novembro 2005
outubro 2005
setembro 2005
agosto 2005
julho 2005
junho 2005
maio 2005
abril 2005
março 2005
fevereiro 2005
janeiro 2005
dezembro 2004
novembro 2004
outubro 2004
setembro 2004
agosto 2004
julho 2004
junho 2004
maio 2004
As últimas:
 

outubro 4, 2017

Temporada de Projetos 2018 - Inscrições

O Paço das Artes – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – lança a convocatória da Temporada de Projetos 2018. O júri selecionará um projeto curatorial e nove trabalhos artísticos, que serão expostos em datas e local a serem definidos pelo Paço das Artes, atualmente sediado no Museu da Imagem e do Som (MIS), na av. Europa, 158 – Jardim Europa.

Inscrições prorrogadas até 18 de outubro de 2017

Paço das Artes @ MIS
Avenida Europa 158, Jardim Europa. São Paulo, SP

CONVOCATÓRIA PARA O PROGRAMA
TEMPORADA DE PROJETOS 2018

A Temporada de Projetos do Paço das Artes, um dos programas mais importantes da instituição, abre a Convocatória 2018. A Temporada é um espaço aberto às produções artísticas e curatoriais emergentes e à consequente reflexão crítica que as acompanha. Os selecionados receberão um Prêmio de Participação. O programa também disponibiliza ajuda de custo aos selecionados residentes fora do Estado de São Paulo, dentro do território nacional. Além disso, a Temporada de Projetos conta com a publicação de um catálogo com imagens e textos críticos de todos os projetos apresentados.

Para 2018, serão realizados 9 (nove) exposições individuais e 1 (um) projeto de curadoria selecionados entre os inscritos.

INSCRIÇÕES DE 8 DE AGOSTO A 30 DE SETEMBRO DE 2017 (NOTA SOBRE PRORROGAÇÃO)

REGULAMENTO

A Associação do Paço das Artes Francisco Matarazzo Sobrinho Organização Social de Cultura, sociedade civil sem fins lucrativos, no exercício das atribuições, conforme Estatuto Social registrado no 1º Oficial de Registro de Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica de São Paulo, torna pública a presente Convocatória, válida para todo o território nacional, e disposições abaixo estabelecidas:

I DO OBJETO

1.1. O objeto desta Convocatória é a seleção de projetos visando ao estímulo, à reflexão e à produção de artistas e curadores emergentes, no sentido de fomentar a diversidade das linguagens artísticas em suas variadas formas de manifestação, possibilitando, através de apoio financeiro, a realização de exposições em espaço a ser definido pelo Paço das Artes, localizado temporariamente no Museu da Imagem e do Som (MIS-SP), na Av. Europa 158 – Jardim Europa – São Paulo/SP.

II DAS CONDIÇÕES

2.1. Estão habilitadas a participar desta Convocatória pessoas físicas envolvidas com as artes visuais, considerando:

a) Pessoa Física: indivíduos ou representantes de grupo de artistas maiores de 18 (dezoito) anos.

2.2. Os candidatos devem ser brasileiros natos ou residir no Brasil há mais de cinco anos e possuir RNE.

2.3. É vedada a inscrição de membros do júri e da comissão organizadora, funcionários, servidores, prestadores de serviços ligados diretamente à Associação e membros do Conselho de Administração e seus parentes de até 3º grau.

2.4. Todas as ações propostas e produtos gerados nesta Convocatória deverão ser oferecidos ao público.

2.5. A presente Convocatória contemplará 9 (nove) projetos individuais em espaço coletivo e 1 (um) projeto de curadoria.

2.5.1. Entendido que as artes visuais constituem um campo de múltiplas manifestações, o (a) proponente terá ampla liberdade quanto às linguagens de arte contemporânea que serão desenvolvidas em seu projeto, podendo direcioná-las a qualquer público, observado o caráter exclusivo da obra para a Temporada de Projetos 2018, e considerando que as mesmas serão expostas em local público de livre acesso.

2.5.2. O (A) proponente deverá considerar os resultados do projeto como contribuições ao conhecimento e à difusão de processos criativos em artes visuais. Deverão ser considerados a qualidade, o planejamento e a divulgação necessários para a disponibilização de seus resultados à sociedade.

2.6. O (A) proponente poderá inscrever até 3 (três) projetos, podendo ser selecionado apenas 01 (um), seja o mesmo individual ou em grupo. Caso deseje inscrever mais do que um projeto, o (a) proponente deve fazer uma ficha para cada proposta e enviá-las separadamente.

2.6.1. O (A) proponente deverá formatar o seu projeto obedecendo às exigências desta Convocatória, podendo escolher qualquer temática ou proposta que considere de interesse para as artes visuais.

III DA INSCRIÇÃO/REGULAMENTO

3.1. As inscrições serão gratuitas, realizadas no período de 8 de agosto a 30 de setembro de 2017 (NOTA SOBRE PRORROGAÇÃO), devendo ser enviadas pelo correio ou feitas diretamente no Museu da Imagem e do Som (MIS-SP), onde o Paço das Artes está localizado, contendo os itens necessários para efetivar a inscrição e as demais exigências constantes desta Convocatória.

3.2. As inscrições poderão ser realizadas diretamente no Museu da Imagem e do Som (MIS-SP) aos cuidados do Núcleo de Projetos do Paço das Artes, de terça a sexta-feira, no período das 12h às 20h. No caso de inscrições enviadas pelos Correios, será considerada a data de postagem.

3.3. Os participantes que realizarem a entrega do projeto via Correios e desejarem receber o comprovante devem fazer o envio na modalidade de carta registrada com Aviso de Recebimento (AR), até a data de postagem informada nesta Convocatória (item 3.1.).

3.3.1. O comprovante de Aviso de Recebimento dos Correios, documentando a entrega do projeto ao Paço das Artes no MIS, servirá como comprovante de inscrição.

3.3.2. O projeto completo deve estar contido em envelope A4 ou embalagem apropriada de mesmo tamanho, identificado com o nome do artista/curador, para o seguinte destinatário:

Paço das Artes no MIS / Núcleo de Projetos
Temporada de Projetos 2018
Av. Europa 158
Jardim Europa, São Paulo-SP, CEP 01449-000

3.4. Na hipótese de inscrição de propostas de grupo de artistas, apenas um membro deverá constar como responsável pela inscrição, sendo ele identificado como proponente e os demais como anuentes.

3.5. A Associação não se responsabiliza por projetos extraviados, não entregues no endereço e postados fora do prazo determinado nesta Convocatória.

3.6. O projeto deverá ser entregue na íntegra, não sendo admitidas alterações ou complementação posteriores à entrega.

Os projetos apresentados deverão ser de caráter contemporâneo e exclusivo para a Temporada de Projetos 2018.

3.8. A Associação não se compromete a devolver os projetos não aceitos.

3.9. O projeto de artista poderá ser apresentado por artista individual ou por grupo de artistas (representado por um dos integrantes do grupo).

3.10. O projeto de curadoria poderá incluir obras de, no máximo, 7 (sete) artistas.

3.11. Não serão aceitas inscrições de artistas/curadores que participaram das edições de 2016 ou de 2017 da Temporada de Projetos.

IV DO PROJETO

4.1. Os projetos para exposições individuais ou de grupos e de curadoria deverão conter, na forma impressa:

a) ficha de inscrição, devidamente preenchida e assinada (disponível no site www.pacodasartes.org.br);

b) texto conceitual explicativo da proposta, com objetivo e justificativa do projeto;

c) memorial descritivo técnico com 1 (uma) lauda (1.000 caracteres sem espaço);

d) currículo resumido do artista/curador;

e) cronograma de execução (tempo necessário para realização da obra/projeto);

f) registro de imagens a cores em papel ou CD devidamente identificados (não serão consideradas imagens em slide). As imagens devem estar acompanhadas de nome do artista, título e data da obra, técnica e dimensões;

g) orçamento detalhado do projeto, incluindo especificações dos materiais necessários e relação dos equipamentos que serão utilizados para a montagem. A não apresentação desse item exclui automaticamente o projeto da seleção;

h) no caso de projetos em vídeo ou de performance, serão aceitos somente DVDs editados ou demo com tempo máximo de duração de 5 (cinco) minutos.

V DO PRÊMIO

5.1. Os projetos de artistas selecionados para exposição receberão a quantia de R$ 1.300,00 (um mil e trezentos reais) a título de Prêmio de Participação para Exposição.

5.1.1. O pagamento do Prêmio de Participação será realizado durante o período da exposição.

5.1.2. No caso de projeto de grupo, o pagamento no valor de R$ 1.300,00 (um mil e trezentos reais) será feito ao seu representante.

5.2. O projeto de curadoria selecionado receberá a quantia de R$ 3.200,00 (três mil e duzentos reais) a título de Prêmio de Participação para Curadoria. Os artistas participantes da curadoria receberão a quantia de 1.300,00 (um mil e trezentos reais) a título de Prêmio de Participação para Exposição.

5.3. Casos omissos em relação ao projeto de curadoria serão analisados pelo júri e pela direção.

VI DA SELEÇÃO

6.1. A seleção será realizada por comissão julgadora composta por até 7 (sete) críticos convidados pela Associação, selecionados entre nomes renomados e jovens críticos.

6.2. São critérios gerais norteadores da avaliação dos projetos a serem contemplados pela presente Convocatória:

a) qualidade e excelência dos projetos;

b) qualidade artística e poética, ineditismo da proposta e coerência conceitual;

c) clareza do memorial descritivo e do desenvolvimento da proposta;

d) viabilidade do cronograma proposto;

e) adequação orçamentária do projeto ao orçamento da Temporada de Projetos 2018, que prevê até R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para a produção das obras dos projetos selecionados. O orçamento da produção será administrado pelo Paço das Artes. Não estão inclusos nesse valor os itens 5.1, 5.2 e 7.1 (c, d, e, f, g, h, i). 6.3. Além de nove projetos de artistas e de um projeto de curadoria, a comissão deverá selecionar três projetos suplentes, sendo dois de artistas e um de curadoria.

6.4. Ocorrendo desistência ou impossibilidade de contratação por parte de algum selecionado, será chamado o primeiro suplente da lista.

6.5. A comissão de seleção é soberana, não cabendo veto ou recurso às suas decisões.

6.6. O resultado do processo seletivo será divulgado no site www.pacodasartes.org.br.

VII DAS OBRIGAÇÕES

7.1. À Associação cabem as seguintes obrigações:

a) para projetos individuais e em grupo: destinar um espaço expositivo de até 80 m² (oitenta metros quadrados);

b) para projeto de curadoria: destinar um espaço expositivo de até 80 m² (oitenta metros quadrados);

c) imprimir materiais gráficos a critério da Associação, tais como convite e/ou programação visual;

d) divulgar as exposições por meio de assessoria de imprensa;

e) elaborar texto crítico para exposições individuais ou em grupo (no caso de curadoria, o autor do texto será o próprio curador);

f) incluir textos e imagens das mostras no site www.pacodasartes.org.br;

g) elaborar catálogo, que poderá ser coletivo, composto por textos institucionais, textos críticos e imagens;

h) preencher laudo técnico com as condições das obras na chegada e na saída do espaço expositivo do Paço das Artes;

i) O artista/curador selecionado residente em outro Estado será contemplado com passagem aérea (ida e volta dentro do território nacional), hospedagem e ajuda de custo por até 5 (cinco) dias, de acordo com procedimento padrão da Associação.

OBSERVAÇÕES: No caso de projeto apresentado por grupo, somente serão disponibilizados os itens acima para um representante. Não estão previstos custos de passagem aérea, hospedagem e traslados para os artistas participantes do projeto de curadoria selecionado.

OBSERVAÇÕES:

a) o espaço expositivo destinado a cada projeto selecionado poderá sofrer alterações para adequar-se ao programa de exposições da Associação.

b) a escolha dos autores dos textos críticos, textos institucionais e verbetes críticos fica a critério da Associação.

c) os conteúdos e formatos do convite, catálogo e/ou programação visual ficam a critério da Associação (qualquer material impresso específico deverá ser submetido à aprovação institucional e deverá constar no projeto).

d) caso o artista obtenha apoio, a Associação poderá oferecer inserção do logo no painel de entrada do Paço das Artes, mediante análise e prévia aprovação da direção.

7.2. Ao artista/curador cabem as seguintes obrigações:

a) assinar contrato com a Associação, sob pena de cancelamento da exposição;

b) responsabilizar-se pelos encargos relativos à embalagem, ao transporte (entrega e retirada no local) e ao seguro das obras a serem expostas;

c) retirada da(s) obra(s), ao término do período de desmontagem da mostra, de acordo com o cronograma estipulado pela Associação;

d) fornecer comprovantes das licenças de direitos de propriedade intelectual e de direitos autorais relacionados às obras de terceiros a serem utilizadas na(s) obra(s) expostas;

e) estar presente na abertura da Temporada de Projetos 2018, e durante a montagem de seu projeto, salvo motivo de força maior; f) entregar material (projeto, memorial, biografia, ficha técnica, verbetes, imagens) para divulgação e realização do catálogo de acordo com o cronograma estipulado pela Associação;

g) comunicar por escrito à Associação eventuais mudanças de endereços, inclusão de apoiadores e outras informações relevantes;

h) observar as normas e procedimentos próprios da Associação;

i) participar do encontro com artistas, grupo ou curador(a) em data programada pela Associação junto ao Núcleo Educativo do Paço das Artes.

OBSERVAÇÃO:

a) A Associação não se responsabiliza por danos ocorridos às obras expostas ou possíveis remontagens das mesmas durante o período da mostra.

VIII DA MOSTRA

8.1. As mostras dos artistas selecionados serão organizadas de acordo com programação, cronograma e orçamento definido pela Associação no decorrer do ano de 2018.

8.2. Os artistas realizarão exposições individuais paralelas em espaço coletivo.

IX DA DIVULGAÇÃO

9.1. A divulgação dos selecionados deverá ocorrer em novembro de 2017 por meio do site do Paço das Artes (www.pacodasartes.org.br). Os artistas e o curador selecionados serão notificados por e-mail e/ou telefone.

9.2. O resultado da seleção também será divulgado para a imprensa.

X DOS DIREITOS AUTORAIS E DO DIREITO DE IMAGEM

10.1. Pela adesão à presente Convocatória, o(a) candidato(a) inscrito(a) que venha a ser selecionado(a) autoriza a Associação e o Governo do Estado de São Paulo a utilizar imagens da produção artística das etapas do projeto em mídia impressa ou eletrônica, para divulgação dos projetos.

10.2. As instituições que constam do item acima poderão, ainda, autorizar a utilização dessas imagens, cujos direitos são ora cedidos a terceiros, para fins educacionais e de divulgação, sem comercialização.

10.3. É responsabilidade do artista ou curador selecionado obter licenças de direitos de propriedade intelectual e de direitos autorais incidentes sobre as obras de terceiros a serem utilizadas na sua obra. As referidas licenças de direitos deverão ser colocadas à disposição da Associação, devidamente assinadas e com firma reconhecida, conforme modelo que será disponibilizado, sob pena de desclassificação. Em caso de contestação, o artista se tornará responsável civil e criminalmente, isentando os organizadores e demais empresas e/ou instituições vinculadas ao Paço das Artes de qualquer responsabilidade.


XI DA COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL

11.1. As logomarcas da Associação e do Governo do Estado de São Paulo deverão obrigatoriamente ser fixadas em todas as peças gráficas de divulgação dos projetos selecionados, sob as chancelas “Apresenta” e /ou “Realização”, de forma padronizada, devendo ser aprovados pela Associação antes de sua veiculação.

11.2. Caso a obra seja produzida com apoio financeiro da Associação, deverá trazer sempre que for exposta as logomarcas da Associação e do Governo do Estado de São Paulo, sob a chancela de “Apoio”. A aplicação da logomarca deverá ser aprovada pela Associação antes da sua veiculação.

XI DISPOSIÇÕES FINAIS

12.1. O ato de inscrição implica a automática autorização, por parte do artista/curador selecionado, de gravação de sua imagem e voz, bem como a posterior utilização institucional, sem limitação de prazo e território, para as finalidades a que se propõe esta Convocatória.

12.2. Os esclarecimentos referentes à Temporada de Projetos serão prestados pelo telefone (11) 2117-4777 (Ramais 412 e 413), de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h, ou pelo e-mail: temporadadeprojetos@pacodasartes.org.br.

12.3. O ato de inscrição implica a automática e plena concordância com todos os termos desta Convocatória, e a inobservância das normas estabelecidas implica o indeferimento da inscrição do projeto.

12.4. Casos omissos serão definidos pela comissão de seleção e pela diretoria da Associação dos Amigos do Paço das Artes.

DOWNLOADS
Ficha de inscrição
Convocatória Temporada de Projetos 2018

Publicado por Patricia Canetti às 6:55 PM


outubro 2, 2017

20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil - obras e programação

A partir do dia 3 de outubro, a cidade de São Paulo será palco de debates acerca da produção cultural do Sul Global em meio ao 20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, que nesta edição espelha, de modo panorâmico e poético, as inúmeras crises que têm desafiado a sociedade contemporânea. Além da exposição dos trabalhos selecionados, o Festival também será marcado por performances e programas públicos que, juntos, ocuparão diversos espaços do Sesc Pompeia até janeiro de 2018.

ARTISTAS E SUAS OBRAS

Alia Farid Abdal e Jesus ‘Bubu’ Negrón | Kuwait / Porto Rico
Mezquitas de Puerto Rico – Rio Piedras | Bidimensional / Tapeçaria
Mezquitas de Puerto Rico – Hatillo | Bidimensional / Tapeçaria
Mezquitas de Puerto Rico – Ponce | Bidimensional / Tapeçaria
Mezquitas de Puerto Rico – Santo Domingo | Bidimensional / Tapeçaria

Alyona Larionova | Rússia / Reino Unido
Across Lips | Videoinstalação 1 canal

Ana Elisa Egreja | Brasil, São Paulo
Poça II / Sala de jantar | Bidimensional / Pintura
Closet / Revoada | Bidimensional / Pintura

Ana Mazzei | Brasil, São Paulo
A barra de ballet está livre | Instalação
Speech about the Sun | InstalaçãoAna Vaz | Brasil, Distrito Federal / França
Há terra! | Vídeo cinema
Amérika: Bahía de las Flechas | Videoinstalação 1 canal

Andrés Padilla Domene | México / França
Ciudad Maya | Videoinstalação 1 canal

Bárbara Wagner e Benjamin de Burca | Brasil, Pernambuco e Alemanha
Faz que vai | Videoinstalação 1 canal

Cristiano Lenhardt | Brasil, Rio Grande do Sul
Pau-Bonito | Instalação
Jornais | Bidimensional / Pintura

Daniel Monroy Cuevas | México
New Frontier | Videoinstalação 1 canal

Débora Mazloum | Brasil, Rio de Janeiro
Jardim de Aclimatação XXI | Instalação

Elizabeth Vásquez Arbulú | Peru
Historia del Cosmos | Videoinstalação 2 canais
Elvis Almeida | Brasil, Rio de Janeiro
Sem Título | Videoinstalação 1 canal
Sem Título | Videoinstalação 1 canal

Emo de Medeiros | França / Benin
Kaleta/Kaleta | Performance / Videoinstalação multicanal
Vodunaut #009 (Hyperfielder) | Tridimensional
Vodunaut #010 (Hyperspacer) | Tridimensional
Vodunaut #011 (Hyperceiver) | Tridimensional

Engel Leonardo | República Dominicana
Pisos | Tridimensional

Felipe Esparza Pérez | Peru
Cautivos | Videoinstalação 1 canal
Soga de Muerto | Videoinstalação 1 canal
Pawqartampu | Videoinstalação 1 canal

Filipa César | Portugal / Alemanha
Transmission from the Liberated Zones | Videoinstalação 1 canal
Luta ca caba inda | Performance

Graziela Kunsch | Brasil, São Paulo
Ensaio Ilú Obá De Min | Videoinstalação 1 canal
Escolas | Videoinstalação 1 canalHaig Aivazian | Líbano
Not Every Day Is Spring | Vídeo cinema

Hellen Ascoli | Guatemala
Objetos Específicos 1 y 2 | Instalação

Ícaro Lira | Brasil, Ceará
Museu do Estrangeiro | Ação com público / Instalação

Jaime Lauriano | Brasil, São Paulo
O Brasil | Vídeo instalado
Morte súbita | Videoinstalação 1 canal

Jiwon Choi | Coreia do Sul / Estados Unidos
Parallel | Vídeo cinema

Karo Akpokiere | Nigéria
Zwischen Lagos und Berlin | Instalação / Desenho

Kavich Neang | Camboja
Kong Bei | Vídeo cinema

Köken Ergun | Turquia
Aşura | Videoinstalação 3 canais

La Decanatura | Colômbia
Centro Espacial Satelital de Colombia | Videoinstalação 1 canal

Louise Botkay | Brasil, Rio de Janeiro
Vai e vem | Videoinstalação 3 canais

Mabe Bethônico | Brasil, Minas Gerais
Histórias minerais extraordinárias | Performance

Manuela de Laborde | México
As Without so Within | Videoinstalação 1 canal

Mariana Portela Echeverri | Portugal / Reino Unido
Orgy Mathematics | Instalação

Mariana Rodríguez | Argentina / México
¿Por qué disparan? | Vídeo instalado

Miguel Penha | Brasil, Mato Grosso
Cipó | Bidimensional / Pintura
Cipó azul | Bidimensional / Pintura

Mona Vatamanu & Florin Tudor | Romênia
Copacul lui Gagarin | Videoinstalação 1 canal

Monira Al Qadiri | Senegal / Kuwait
Spectrum 1 | Tridimensionais / Instalação
OR-BIT 1 | Tridimensionais / Instalação

Natasha Mendonca | Índia
Ajeeb Aashiq | Vídeo cinema
Trance | Vídeo instalado

Pakui Hardware | Lituânia
Lost Heritage | Instalação

Pedro Barateiro | Portugal
The Current Situation | Instalação com vídeo
The Sad Savages | Performance

Quy Minh Truong | Vietnã
Vuon Bau Xanh Tuoi | Vídeo cinema

Rafael Pagatini | Brasil, Espírito Santo
Bem-vindo presidente! | Instalação / Gravuras
DOPS | Instalação / Fotografias

Rodrigo Hernández | México
Shikantaza | Bidimensional

Roy Dib | Líbano
Beit El Baher (The Beach House) | Vídeo cinema
Here and There – São Paulo Edition | Performance

Sammy Baloji | República Democrática do Congo / Bélgica
Pugulume | Videoinstalação 3 canais

Sasha Litvintseva | Rússia / Reino Unido
Exile Exotic | Videoinstalação 1 canal
Evergreen | Vídeo cinema

Seydou Cissé | Mali / França
Faraw ka taama | Vídeo cinema

Thando Mama | África do Sul
Desolation I-V | Videoinstalação 5 canais
Of Nationhood | Videoinstalação 1 canal

Tatewaki Nio | Japão / Brasil
Neo-andina | Bidimensional / FotografiaThiago Martins de Melo | Brasil, Maranhão
bárbara baraclava | Videoinstalação 1 canal

Viktorija Rybakova | Lituânia
Swivel Doors | Tridimensional

Von Calhau! | Portugal
EULUSIONISMO ANTILUSIONISTU | Videoinstalação 1 canal
Tau Tau | Performance

Ximena Garrido-Lecca | Peru / México
Contornos | Videoinstalação 1 canal
La trama | Tridimensional


PROGRAMAÇÃO

SEMANA DE ABERTURA | 3 A 8 DE OUTUBRO

3 DE OUTUBRO | TERÇA-FEIRA
20h | CONVIVÊNCIA | HALL DO TEATRO | RUA CENTRAL | OFICINAS DE CRIATIVIDADE
Abertura da Exposição PANORAMAS DO SUL
20h | RUA CENTRAL
Performance HERE AND THERE – SÃO PAULO EDITION, ROY DIB (Líbano)
21h30 | COMEDORIA
Performance THE BLACK MAMBA – NATASHA MENDONCA E SUMAN SRIDHAR (Índia). 75’

4 DE OUTUBRO | QUARTA-FEIRA
13h, 15h, 17h, 19h | AUDITÓRIO
Programa de vídeo 1 (75’50”)
15h | GALPÃO VB
Visita guiada à exposição AGORA SOMOS TODXS NEGRXS?, com SOLANGE FARKAS e DANIEL LIMA | Lançamento do programa AMIGOS VIDEOBRASIL
18h | OFICINAS DE CRIATIVIDADE
Ativação de MUSEU DO ESTRANGEIRO, ÍCARO LIRA
16h às 19h | RUA CENTRAL
Performance HERE AND THERE – SÃO PAULO EDITION, ROY DIB (Líbano)
20h30 | COMEDORIA
Performance LUTA CA CABA INDA, FILIPA CÉSAR (Portugal) e SANA N’HADA (Guiné-Bissau). 90’

5 DE OUTUBRO | QUINTA-FEIRA
13h, 15h, 17h, 19h, 21h | AUDITÓRIO
Programa de vídeo 2 (66’20”)
16h às 19h | RUA CENTRAL
Performance HERE AND THERE – SÃO PAULO EDITION, ROY DIB (Líbano)
20h30 | TEATRO
Performance TAU TAU, VON CALHAU! (Portugal). 50’

6 DE OUTUBRO | SEXTA-FEIRA
13h, 15h, 17h, 19h, 21h | AUDITÓRIO
Programa de vídeo 3 (63’)
20h30 | ESPAÇO EXPOSITIVO | CONVIVÊNCIA
Narrativa performada HISTÓRIAS MINERAIS EXTRAORDINÁRIAS, MABE BETHÔNICO. 90’

7 DE OUTUBRO | SÁBADO
12h, 16h | AUDITÓRIO
Programa de vídeo 4 (75’)
14h, 18h | AUDITÓRIO
Programa de vídeo 5 (75’)
15h | CONVIVÊNCIA
Performance KALETA/KALETA, EMO DE MEDEIROS (Benin/França). 45’
17h | DECK
Lançamento COINCIDÊNCIA - Programa Pro Helvetia para a América do Sul
20h30 | AUDITÓRIO
Performance TRISTES SELVAGENS, PEDRO BARATEIRO (Portugal). 90’

8 DE OUTUBRO | DOMINGO
10h, 12h, 14h, 16h, 18h | AUDITÓRIO
Programas de vídeo 1, 2, 3, 4 e 5
15h | ESPAÇO EXPOSITIVO | CONVIVÊNCIA
Performance KALETA/KALETA, EMO DE MEDEIROS (Benin, França). 45’
18h | TEATRO
Premiação


AULAS ABERTAS E CONVERSAS

OUTUBRO

14 DE OUTUBRO | SÁBADO
15h | AUDITÓRIO
Aula aberta e visita guiada com a curadora ANA PATO | REINVENÇÃO E RESISTÊNCIA | convidado MÁRCIO SELIGMANN-SILVA

21 DE OUTUBRO | SÁBADO
15h | AUDITÓRIO
Conversa com artista | VÍTOR CÉSAR e FELIPE KAIZER

28 DE OUTUBRO | SÁBADO
15h | AUDITÓRIO
Conversa com artista | GRAZIELA KUNSCH

NOVEMBRO

4 DE NOVEMBRO | SÁBADO
15h | CONVIVÊNCIA
Narrativa performada HISTÓRIAS MINERAIS EXTRAORDINÁRIAS, MABE BETHÔNICO. 90`

11 DE NOVEMBRO | SÁBADO
15h | AUDITÓRIO
Aula aberta e visita guiada com o curador DIEGO MATOS | DA ARTE DE HOJE AO ESPAÇO CONSTRUÍDO: OUTRAS FORMAS E PRÁTICAS PARA ALÉM DO MODERNO | convidado GUILHERME WISNIK

18 DE NOVEMBRO | SÁBADO
14h | GALPÃO VB
Encontro com os artistas JAIME LAURIANO e THIAGO DE PAULA | IDENTIDADE NACIONAL COMO APAGAMENTO DE CULTURAS

DEZEMBRO

2 de DEZEMBRO | SÁBADO
15h | AUDITÓRIO
Conversa com artista | ANA ELISA EGREJA, ANA MAZZEI e TATEWAKI NIO
17h | AUDITÓRIO
Conversa com os curadores | SOLANGE FARKAS, ANA PATO, BEATRIZ LEMOS E DIEGO MATOS

JANEIRO

13 DE JANEIRO | SÁBADO
15h | ESPAÇO EXPOSITIVO + AUDITÓRIO
Aula aberta e visita guiada com a curadora BEATRIZ LEMOS | COSMOVISÕES | convidado WILBERT LOPEZ

14 DE JANEIRO | DOMINGO
15h | AUDITÓRIO
Conversa com Artista | ÍCARO LIRA e integrantes do MUSEU DO ESTRANGEIRO
18h | DECK
Apresentação da banda SATELLITE MUSIQUE (Haiti) e integrantes do MUSEU DO ESTRANGEIRO, de ÍCARO LIRA


PROGRAMAS DE VÍDEO

PROGRAMA 1 (1:15:50)

Seydou Cissé (Mali, 1981), Faraw ka taama, 2012
Vídeo, 11’, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

Quy Minh Truong (Vietnã, 1990), Vuon Bau Xanh Tuoi, 2016
Vídeo, 15’, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor e p&b, estéreo

Mona Vatamanu (Romênia, 1968) e Florin Tudor (Suíça, 1974), Copacul lui Gagarin, 2016
Vídeo, 22’50”, 1920 x 1080, 16:9, cor, PAL, estéreo

Sasha Litvintseva (Rússia, 1989), Evergreen, 2014
Vídeo, 27’, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

PROGRAMA 2 (1:06:20)

Kavich Neang (Camboja, 1987). Kong Bei, 2015
Vídeo, 20’20”, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

Haig Aivazian (Líbano, 1980), Not Every Day Is Spring, 2016
Vídeo, 46’, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

PROGRAMA 3 (1:02:41)

Ana Vaz (Brasil, 1986), Amérika: Bahía de las Flechas, 2016
Vídeo, 8’46”, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

Andrés Padilla Domene (México, 1986), Ciudad Maya, 2016
Vídeo, 24’, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

Jiwon Choi (Coreia do Sul, 1991), Parallel, 2017
Vídeo, 29’55”, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

PROGRAMA 4 (1:15:00)

Roy Dib (Líbano, 1983), Beit El Baher, 2016
Filme, 75’, 1920 x 1080, 16:9, PAL, cor, estéreo

PROGRAMA 5 (1:15:00)

Natasha Mendonca (Índia, 1978), Ajeeb Aashiq, 2016
Filme, 75’, 1920 x 1080, 16:9, cor, PAL, estéreo


Após a semana de abertura, os programas de vídeo serão exibidos nos seguintes horários, ao longo de todo o período da exposição:

terça-sábado: 12h: pgm 1 | 14h: pgm 2 | 16h: pgm 3 | 18h: pgm 4 | 20h: pgm 5
domingo: 10h: pgm 1 | 12h: pgm 2 | 14h: pgm 3 | 16h: pgm 4 | 18h: pgm 5


Programação completa: www.festivalsescvideobrasil.org.br/programacao


Agendamento de grupos para visitas: agendamento@pompeia.sescsp.org.br

Publicado por Patricia Canetti às 7:04 PM


20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil - Panoramas do Sul no Sesc Pompeia, São Paulo

Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil chega a sua 20ª edição e se apropria do espaço arquitetônico do Sesc Pompeia


20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil | Panoramas do Sul from Videobrasil on Vimeo.

A partir do dia 3 de outubro, a cidade de São Paulo será palco de debates acerca da produção cultural do Sul Global em meio ao 20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, que nesta edição espelha, de modo panorâmico e poético, as inúmeras crises que têm desafiado a sociedade contemporânea. Além da exposição dos trabalhos selecionados, o Festival também será marcado por performances e programas públicos que, juntos, ocuparão diversos espaços do Sesc Pompeia até janeiro de 2018.

Para o diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda, “o 20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, com propostas de artistas provenientes de diferentes nações do Sul geopolítico, situa-se numa encruzilhada na qual o específico e o geral se encontram. Sob essa premissa, o Sesc realiza uma ação cultural afeita a experiências dedicadas a desfazer as amarras herdadas do passado colonial e contraídas de uma condição geopolítica periférica”. Miranda menciona a importância da parceria entre o Sesc e a Associação Cultural Videobrasil que, desde os anos 1990, “possibilita que esses cruzamentos entre as linhas de força locais e internacionais resultem na invenção de outros nós a partir do Sul”.

«Nestes tempos instáveis, quando disputas narrativas se acirram e reordenamentos sociopolíticos locais e globais tornam-se constantes, sempre sob o fantasma permanente de crise – econômica, ecológica ou cultural –, o conjunto de artistas selecionados traz à tona o desejo da arte em ampliar nossas concepções de mundo, englobando o estudo da vida, de nossas origens, da evolução do universo, das dinâmicas de grupos sociais ao longo da história, bem como da invenção de novas formas de fazer político», afirma Solange Farkas, curadora-geral do Festival e diretora do Videobrasil, entidade que, ao lado do Sesc São Paulo, assina a realização do evento.

«São práticas artísticas que borram as fronteiras entre as ciências e nos levam numa viagem sobre a origem da história, das sociedades e da Terra», completa Solange.

MOSTRA

Também focado na representatividade geopolítica da arte, o 20º Festival selecionou, para esta edição, trabalhos de 50 artistas, oriundos de 25 países. Desse total, 15 são brasileiros. Há ainda representantes da América Latina, África, Ásia e do Oriente Médio. Solange Farkas assina a curadoria-geral desta edição, ao lado de quatro curadores convidados: os brasileiros Ana Pato, Beatriz Lemos e Diego Matos, e o português João Laia. Juntos, os curadores analisaram aproximadamente 3.200 trabalhos, inscritos por 2 mil artistas, de 109 países.

A mostra do Festival traz vídeos, pinturas, instalações, esculturas, fotografias, gravuras e até mesmo plantas artificiais que formam um pequeno jardim de aclimatação. São trabalhos diversos que revelam uma multiplicidade de visões de mundo, criadas a partir de uma sociedade que parece pressentir seu próprio fim e, para evitá-lo, recorre a suas origens.

«O espectro de observação do artista ganha alterações diversas de escala diante do lugar que o cerca: dos micro-organismos até o âmbito do cosmos, das ações no campo da micropolítica às mobilizações em massa. As vozes simbolicamente vindas de outros lugares de partida que antes estavam à margem agora procuram qualificar uma nova ordem, diversa ao império moderno, às grandes narrativas históricas que deixaram um legado traumático e ao cientificismo de outra hora que nos fez crer na onipotência do homem e sua tecnologia», destacam os curadores.

As obras foram organizadas de acordo com seis eixos: Cosmovisões (Origens; Ritos e Cosmogonias; Ciências e Cosmologias); Ecologias (Natureza, Terra e Fungos; Catástrofes, Crises e Novas Consciências); Reinvenção da Cultura (Técnicas, Apropriações e Representações); Políticas de Resistência (Urbanidade, Corpos e Afetos); Histórias Invisíveis (Memória e Micro-história); e, por fim, Outros Modernismos (Outros Espaços e Outras Paisagens).

EXPOGRAFIA

Em 2017, o Sesc Pompeia reunirá todas as atividades do Festival. Antes concentrada na Área de Convivência do local, a exposição tomará não só este espaço, mas também o Hall do Teatro e as ruas internas – vias que cortam o equipamento cultural e as Oficinas. Será construído um Auditório, que receberá ainda os Programas de Vídeos, mostras montadas com obras que exigem exibição em sala de cinema.

O projeto expográfico do 20º Festival é assinado pelo arquiteto André Vainer. A direção de arte, assim como o projeto gráfico da edição, é de autoria de Vitor César, arquiteto e artista que possui um trabalho de pesquisa sobre noções de espaço público em práticas artísticas.

Além da exposição propriamente dita e do programa de vídeo, a programação do 20º Festival conta ainda com Performances, atividades de Programas Públicos (como encontros e conversas com participantes do Festival) e Oficinas, além de ações educacionais para grupos e famílias, coordenadas pela arte-educadora Vera Barros. Estão previstas ainda visitas mediadas por curadores e convidados.

CATÁLOGO ENCICLOPÉDICO

Com um projeto gráfico que recria elementos tradicionais das enciclopédias, servindo-se não só de textos, mas também de imagens, ilustrações, mapas e gráficos, o catálogo do 20º Festival amplia o contato do público com o contexto e os conceitos articulados pelas obras selecionadas, convidando o público a repensar criticamente as disciplinas e as categorias que vêm normalizando as formas de experimentar e compreender o mundo.

Integrando arte, cultura, astronomia, biologia, história e geografia, de modo a tornar ainda mais evidente o rompimento das fronteiras entre arte e ciência, o catálogo enciclopédico lista, em ordem alfabética, os artistas e suas obras, intercalando-os com outros tipos de verbetes, designados como “palavras-chave”, “países” e “regiões” de origem e residência dos autores – verbetes estes que conceituam o Sul geopolítico e sua produção.

PREMIAÇÃO

Nesta 20ª edição, o Festival oferecerá aos artistas participantes do Brasil e do exterior três Prêmios de Aquisição, no valor de R$ 25 mil cada, para as obras em vídeo que passarão a integrar o Acervo Sesc de Arte.

A fundação Ostrovsky Family Fund (O.F.F.), reconhecida pelo incentivo a iniciativas artísticas progressistas e independentes, oferecerá a um dos selecionados um prêmio no valor de R$ 25 mil para o trabalho de arte com imagem em movimento mais inovador. O reconhecimento será atribuído pelo próprio júri de premiação do Festival.

Serão ainda concedidos cinco prêmios de residências artísticas, cada um deles oferecido por um júri internacional específico, de instituições parceiras do Festival. São elas Ujazdowski Castle Centre for Contemporary Art, da Polônia; Kyoto Art Center, do Japão; Residência Vila Sul, do Goethe-Institut, em Salvador, Bahia; Wexner Center for the Arts, dos Estados Unidos; e a Pro Helvetia, da Suíça. Os artistas premiados serão anunciados no dia 8 de outubro, em cerimônia no Teatro Sesc Pompeia.

Neste ano, Flávia Ribeiro assina a escultura-troféu destinada aos artistas premiados pelo 20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil. Convidada, a artista plástica concebeu uma peça que, em sua visão, sintetiza o valor da diversidade cultural tão presente no Festival. Nesta edição, o troféu ganha forma de um pequeno pássaro, criado em bronze banhado a ouro, acrescido de veludo. “As aves migram, voam muitas vezes de um país a outro, percorrendo longas distâncias. Relaciono isso ao fato de o Festival receber obras e artistas de várias partes do mundo, um trânsito entre culturas tão diversas”, afirma Flávia.

Autora de uma obra que contempla pesquisas no campo da escultura, gravura e livros de artista, Flávia tem no desenho o impulso para sua criação. Para a artista, é por meio desta linguagem técnica específica que são elaboradas questões a serem investigadas no processo de seu trabalho.

Com a criação do troféu para a 20ª edição do Festival, a artista se une ao seleto grupo de figuras que conceberam a peça em edições anteriores, tais como Efrain Almeida, Tunga, Rosângela Rennó, Luiz Zerbini e Erika Verzutti, entre outros.

CURADORIA

Solange Oliveira Farkas é curadora e diretora da Associação Cultural Videobrasil. Criou o Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil em 1983 e foi diretora e curadora-chefe do Museu de Arte Moderna da Bahia entre 2007 e 2010. Participou como curadora convidada da 10ª Bienal de Charjah (Emirados Árabes Unidos, 2011), 16ª Bienal de Cerveira (Portugal, 2011), 5ª Videozone – International Video Art Biennial (Israel, 2010), FUSO – Mostra Anual de Videoarte (Portugal, 2011-2014 e 2017) e 6º Festival Internacional de Vídeo de Jacarta (Indonésia, 2013). Integra o Comitê de Premiação do Prince Claus Fund Award 2017 e o conselho consultivo do espaço de arte Pivô, em São Paulo. Em 2017, foi contemplada com o Montblanc Arts Patronage Award, prêmio da fundação alemã destinado a profissionais com trajetória de destaque no apoio ao desenvolvimento das diversas expressões artísticas e culturais.

Ana Pato é curadora, pesquisadora e doutora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP). Foi curadora-chefe da 3ª Bienal da Bahia (2014) e diretora de projetos da Associação Cultural Videobrasil (2000-2012). É autora do livro Literatura Expandida: arquivo e citação na obra de Dominique Gonzalez-Foerster (2012).

Beatriz Lemos é curadora especializada em artes e redes digitais. Mestra em história social da cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), coordena o selo de publicações Sismos Editorial e é idealizadora da plataforma on-line Lastro. Entre 2015 e 20016, integrou o programa Curador Visitante, da Escola de Artes Visuais do Parque Lage.

Diego Matos é pesquisador, professor e curador. É mestre e doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP). Foi assistente de curadoria da 29ª Bienal de São Paulo (2010) e curador assistente do 18º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil (2013). Entre 2014 e 2016, coordenou o Núcleo de Arquivo e Pesquisa da Associação Cultural Videobrasil.

João Laia é escritor e curador. Realizou curadorias para instituições como Moderna Museet, Estocolmo; Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, Lisboa; Videoex, Zurique; Delfina Foundation e Whitechapel Gallery, ambas em Londres; e Parque Lage, Rio de Janeiro. Contribui para veículos internacionais como Frieze, Mousse, Flash Art, Terremoto e Público.

Publicado por Patricia Canetti às 6:46 PM


agosto 27, 2017

III Prêmio Reynaldo Roels Jr. - Inscrições

A Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage abriu inscrições para o III Prêmio Reynaldo Roels Jr. e o Seminário A Síntese entre Arte, Arquitetura e Paisagem, voltados a trabalhos de instalação. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até as 20h do dia 11 de setembro. Os 20 selecionados, cujos nomes serão anunciados em 15 de setembro, deverão obrigatoriamente participar do seminário para concorrer ao prêmio. O seminário terá 50 horas de duração e será realizado de 25 de setembro a 06 de outubro de 2017. O autor do projeto vencedor receberá R$ 20 mil e terá de produzir uma peça com as características de uma instalação, a ser exibida ainda este ano ao ar livre, na praça do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC-Niterói), cujo projeto arquitetônico é de Oscar Niemeyer. O prêmio foi criado em 2015 para homenagear o crítico de arte Reynaldo Roels Jr., que dirigiu a EAV entre 2002 e 2006. Os patronos do prêmio são os colecionadores Helio Portocarrero, economista, e Nelson Eizirik, advogado.

Inscrições até 11 de setembro de 2016, às 20 horas, na secretaria da EAV (Somente participantes do Seminário A Síntese entre Arte, Arquitetura e Paisagem, de 50 horas, podem concorrer ao prêmio)

Escola de Artes Visuais do Parque Lage
Rua Jardim Botânico 414, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, RJ
21-2334-4088 ou eav@eavparquelage.rj.gov.br

REGULAMENTO

DO PRÊMIO
A Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage lança a terceira edição do Prêmio Reynaldo Roels Jr. em homenagem ao crítico de arte que dirigiu a instituição entre 2002 e 2006.

O prêmio é anual e destinado a pessoas que queiram desenvolver um projeto de instalação a ser realizado em espaço público. Este ano, podem concorrer pessoas maiores de 18 anos que tenham disponibilidade e interesse em participar do Seminário A Síntese entre Arte, Arquitetura e Paisagem, de 50 horas, que será realizado de 25 de setembro a 06 de outubro de 2017.

Alunos e ex-alunos da EAV que quiserem concorrer precisam estar com a mensalidade em dia (no caso de cursos pagos).

O autor do projeto vencedor receberá R$ 20 mil para a produção de uma peça com as características de uma instalação em local aberto à visitação pública.

A cada ano, a Comissão organizadora do Prêmio Reynaldo Roels Jr. da Escola de Artes Visuais do Parque Lage elege um local que serve de ponto de partida para a instalação da obra.

A mudança de uma edição para outra visa estimular o desenvolvimento de pesquisas sobre um lugar que tenha especificidades históricas ou artísticas, com componentes sociais e urbanos.

As duas edições anteriores do Prêmio aconteceram no Pier Mauá e no Museu de Arte Moderna, respectivamente. O local escolhido, em 2017, é o edifício do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC Niterói), projeto do arquiteto Oscar Niemeyer.

O Prêmio só se tornou possível graças a uma dotação anual do economista Helio Portocarrero e do advogado Nelson Eizirik, ambos colecionadores.

DA PARTICIPAÇÃO

Somente participantes do Seminário A Síntese entre Arte, Arquitetura e Paisagem, de 50 horas, podem concorrer ao prêmio.

Para participar do seminário, o candidato deve enviar um currículo resumido com imagens de (até) dois trabalhos (realizados ou não), junto com um projeto inédito de instalação para o local designado pelo edital, acompanhado de justificativa, fotografias e/ou desenhos. Não é necessária, nessa etapa, a apresentação de um estudo detalhado.

Todo o material deve ser entregue pessoalmente ou enviado pelos Correios. O destinatário deve ser a secretaria de Ensino da EAV (aos cuidados de Carmen Souza). Se a inscrição for feita por representante, deve vir acompanhada de procuração chancelada em cartório.

O prazo para recebimento das inscrições encerra-se as 20 horas do dia 11 de setembro de 2017.
Em nenhuma hipótese será aceito um projeto fora do prazo. Em caso de dúvidas, entre em contato através do e-mail edital.eavparquelage@gmail.com

FICHA DE INSCRIÇÃO

PLANTAS Fachada | Praça

REQUISITOS
1. Participar do Seminário A Síntese entre Arte, Arquitetura e Paisagem, de 50 horas, que será realizado na EAV Parque Lage de 25 de setembro a 06 de outubro de 2017.
2. Familiaridade com as diferentes linguagens da área de Artes.
3. O nível de escolaridade ou formação não representa um item relevante.
4. Incentiva-se a transdisciplinaridade entre diversos campos de conhecimento (além de artistas, arquitetos, designers, físicos, geógrafos, antropólogos);
5. Ser maior de 18 anos.

DA SELEÇÃO
O seminário (50 horas) é gratuito. Para participar, é preciso concorrer a uma das 20 (vinte) vagas. Será constituída uma Comissão de Seleção (três ou mais membros) que analisará o material enviado e escolherá até vinte participantes do seminário. A Comissão de Seleção é soberana.

ANÚNCIO DA SELEÇÃO
Os candidatos escolhidos serão comunicados por e-mail no dia 15 de setembro e terão 48 horas para confirmar sua participação, por e-mail ou telefone, para a secretaria da EAV Parque Lage. A não confirmação acarretará a substituição do candidato por um nome da lista de espera.

DA PREMIAÇÃO
Somente participantes do seminário poderão concorrer ao prêmio. Os participantes submeterão um projeto detalhado de instalação na segunda etapa do edital. Será constituída uma Comissão de Premiação (três ou mais membros) que analisará os projetos enviados e escolherá o/a vencedor/a. A decisão da Comissão de Premiação é soberana. A ela competem todas as discussões referentes à pertinência e singularidade da obra.

CRONOGRAMA
A Escola de Artes Visuais do Parque Lage lança o III Prêmio Reynaldo Roels Jr. com o Seminário A Síntese entre Arte, Arquitetura e Paisagem. A obra premiada será realizada e inaugurada em dezembro de 2017, no praça (área externa) do Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

22/08 – Lançamento do edital no site da EAV;
11/09 – Término das inscrições de projetos para participar do seminário;
14 e 15/09 – Seleção de até 20 (vinte) participantes do seminário;
15/09 – Publicação dos selecionados para o seminário;
25/09 a 06/10 – Seminário de acompanhamento de projetos e visita técnica ao local a ser agendada;
20/10 – Término das inscrições de projetos detalhados para o III Prémio Reynaldo Roeis Jr.;
24, 25 e 26/10 – Seleção do projeto premiado;
27/10 – Publicação do resultado de seleção do projeto premiado;
01/11 – Liberação do recurso;
03 a 30/11 – Produção da obra, viabilização de autorizações necessárias para a realização da instalação;
01 a 08/12 – Montagem da obra (podendo o início da montagem ser antecipado de acordo com as especificidades da Instalação);
09/12 – Inauguração da instalação no Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

DA OBRA

O Prêmio Reynaldo Roels Jr. objetiva a realização e exposição de um projeto de instalação, escolhido por uma Comissão especialmente constituída para essa finalidade.

Ficam a critério do/a participante todas as decisões referentes à confecção da instalação: escolha dos materiais, escala final e combinação de suportes e linguagens, podendo incluir projeção de imagens e performances sonoras.

A pesquisa de informações e o pagamento de direitos autorais a terceiros são de rigorosa responsabilidade do/a candidato/a. Se a obra trabalhar com o conceito de “apropriação”, o candidato deverá informar que trata-se de uma colaboração entre vários integrantes de um coletivo ou em parceria com colegas não inscritos na EAV, mencionando cada um nominalmente na ficha técnica.

A instalação será montada no local designado pelo Edital e deve permanecer por um período mínimo de uma semana, mesmo em se tratando de uma obra de natureza efêmera. Após a desmontagem, a obra será devolvida ao artista, que poderá dispor livremente de sua comercialização. O desenho do projeto deve ser doado à Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa e passa a pertencer à Escola de Artes Visuais do Parque Lage, que possui os direitos de remontar o referido trabalho sem ônus para a instituição.

O montante de 20 mil reais será depositado na conta do/a candidato/a vencedor/a no dia 1 de outubro de 2017. Caso a obra necessite de um valor maior para sua finalização e implantação no local, a diferença será de inteira responsabilidade do/a autor/a do projeto. A não-realização da obra acarretará a devolução do valor do prêmio.

DOS OBJETIVOS

Em consonância com o universo reflexivo de Reynaldo Roels Jr., o prêmio visa a valorização de experimentalismos artísticos para além dos lugares tradicionais. Nesse sentido, o Prêmio Reynaldo Roels Jr. da Escola de Artes Visuais do Parque Lage contempla jovens artistas interessados na linguagem da instalação em virtude de sua capacidade de questionar o ambiente onde é realizada.

O termo “instalação” foi incorporado ao vocabulário das artes visuais na década de 1960, designando uma situação (em galerias, museus ou na rua), cuja lógica é regida pela relação entre os objetos e o corpo do observador. Esse tipo de intervenção artística tem a característica de estimular o público a sair de uma atitude puramente contemplativa para adotar uma apreciação crítica do espaço que acolhe a obra de arte.

Com o Prêmio Reynaldo Roels Jr., a Escola de Artes Visuais do Parque Lage amplia seu lugar de atuação para espaços extramuros e permite que seus alunos realizem um trabalho de escala pública. A iniciativa oferece aos estudantes e ex-estudantes de arte da EAV uma inserção no tecido social e urbano do Rio de Janeiro, no momento em que a cidade se torna palco de enormes investimentos financeiros que vêm transformando sua paisagem e, consequentemente, a circulação da população.

Apoio Institucional: MAC Niterói

Publicado por Patricia Canetti às 4:01 PM


agosto 23, 2017

Chamada Pública: Bienal de Arte Digital 2018 - Inscrições

O Festival de Arte Digital tornam pública as inscrições para o Processo de Seleção para a Bienal de Arte Digital, que ocorrerá de Fevereiro a Março de 2018 na cidade do Rio de Janeiro e sua circulação de março a abril de 2018 na cidade de Belo Horizonte. As atividades que compõem a sua programação (Exposição, Performances, Simpósio e Oficinas) ocorrerão nas duas cidades. A temática escolhida para a edição de 2018 é Linguagens Híbridas.

Inscrições até 17 de setembro de 2017

TEMA (scroll down for English version)

As configurações atuais da Arte Tecnológica têm se fundido com a vida contemporânea, num processo viral de trocas incessantes entre o mundo real e o simulado. Criam-se trabalhos híbridos, nos quais o digital e o analógico, o natural e o artificial, o real e o virtual, se atravessam. A tecnologia passou a ser vista como um fator constitutivo da vida humana  e com a biotecnologia, a própria vida. As pesquisas científicas são reapropriadas e se transformam em linguagens artísticas, através do uso da interatividade, virtualidade, sistemas híbridos e imersão.

Para além da digitalização das informações, assistimos agora a um processo intenso de digitalização do mundo físico. Simultaneamente, em meio a esse fluxo veloz e exorbitante de informação em que vivemos, muitos artistas, criadores, profissionais, pesquisadores e intelectuais apontam para a necessidade de produzir outros ritmos, outras temporalidades, outras realidades, outros espaços e silêncios, para que seja possível transmutar e reconfigurar um novo lugar de utopia. Nesse sentido, o que se convencionou chamar de sociedade pós-digital parece marcar a transição de uma era caracterizada pelo encantamento tecnológico para uma outra, na qual encontrar novas maneiras de abordar, conceitualizar e repensar o universo artístico e social em relação a estas transformações é tarefa urgente.

A arte inserida no pós-digital propõe um movimento de escape do domínio tecnológico, mas sem descartá-lo completamente e faz um convite à experimentação no plano onde a existência física e a abstração do mundo digital se encontram. São trabalhos que exploram - através de meios alternativos à participação, interação e colaboração entre o público e o artista - sensações hápticas e sinestésicas dessa constante atualização da relação homem-máquina. Mais do que isso, eles expõem como as forças que constituem a condição de existência natural e tecnológica, agora mais orgânicas e simbióticas - ainda que não tenham perdido seu DNA na operação dos metadados e algoritmos  - estão produzindo seres híbridos.

A computação vestível, a internet das coisas, a inteligência artificial, o BigData, a geolocalização, os processos da robótica, da automação, da computação quântica e do hibridismo pervasivo, tornam-se então matéria de expressão. Faz-se necessário que essas ferramentas sejam cada vez mais abertas, para que a inovação que trazem seja decodificada nas mais diversas manifestações, culturais e tecnológicas. Significa dizer que devem se constituir por meio de trocas e modificações disponíveis em seu entorno, permitindo-se o aprimoramento de conjuntos técnicos mais amplos. Não pode haver desenvolvimento tecnológico e inovação técnica sem uma certa margem de indeterminação, uma abertura das máquinas para novos acoplamentos.

Nesta edição especial do FAD, denominada Bienal de Arte Digital, o objetivo será exibir trabalhos e conceitos através dos quais as transformações, ao longo do tempo, dos processos digitais na vida, na criatividade e na sociedade através da arte e da comunicação, criam experiências por meio das hibridações imersivas aos visitantes.

EDITAL (english)

Chamada Pública Unificada de Seleção de Trabalhos
Edição Bienal de Arte Digital 2018
Rio de Janeiro & Belo Horizonte (Brasil)
www.bienalartedigital.com
www.festivaldeartedigital.com.br

1 – DO EDITAL

1.1. O Festival de Arte Digital, projeto promovedor da Bienal de Arte Digital, por meio do seu representante legal, Conteúdo Arte & Tecnologia EIRELI - ME, inscrita no CNPJ sob o número 04.247.611/0001-90, com sede em Belo Horizonte/MG, e sua coordenação denominada Comissão Organizadora, responsável pela gestão e produção de todas as etapas da edição Bienal de Arte Digital 2018, tornam pública a todos os interessados, a abertura de inscrições para o Processo de Seleção de estabelecendo os prazos e condições para participação expostos neste Edital.

1.2. A Bienal de Arte Digital ocorrerá de Fevereiro a Março de 2018 na cidade do Rio de Janeiro (RJ/ Brasil) e sua circulação de Março a Abril de 2018 na cidade de Belo Horizonte (MG/Brasil). As atividades que compõem a sua programação (Exposição, Performances, Simpósio e Oficinas) ocorrerão nas duas cidades.

2 – DO TEMA

2.1. A temática escolhida para a edição de 2018 é LINGUAGENS HÍBRIDAS. O texto conceitual está disponível em www.bienalartedigital.com & www.festivaldeartedigital.com.br

3– DO OBJETIVO E ETAPAS

3.1. Objetivo Principal

3.1.1. Selecionar, através desse processo, obras e trabalhos intelectuais, apresentações, manifestações artísticas, conceituais e desenvolvimentos profissionais, de modo a incentivar a participação de pessoas, projetos, coletivos e grupos, na programação da edição Bienal de Arte Digital do FAD - Festival de Arte Digital no ano de 2018, que ocorrerá nas cidades de Rio de Janeiro (RJ/Brasil) e Belo Horizonte (MG/Brasil).

3.1.2. A inscrição das propostas está sujeita à disponibilidade para as duas cidades nos períodos citados a critério da comissão organizadora e curadoria. A Comissão Organizadora poderá selecionar projetos para execução em mais de uma cidade.

3.2. Objetivos Conceituais

3.2.1. São objetivos conceituais deste processo seletivo:

a) democratizar e ampliar o acesso à produção digital;
b) refletir sobre a produção criativa, artística e intelectual na atualidade por meio do Digital;
c) realizar uma programação artística e cultural nas cidades de Rio de Janeiro (RJ/Brasil) e Belo Horizonte (MG/Brasil) capaz de veicular o que vem sendo realizado no Brasil e no mundo, por jovens criadores, artistas, makers, estudantes e profissionais de diversas áreas e campos afins;
d) colaborar com a consolidação destas trajetórias individuais e coletivas;
e) refletir, criar, apoiar a difusão da cultura digital através de processos artísticos, criativos e inovadores, para um público amplo;
f) propor uma Agenda à cultura e às artes tecnológicas através do evento e
g) estabelecer e estreitar a relação entre produtores, artistas, criadores e produtores nacionais e internacionais e mediar a relação com o público.

3.3. Etapas do Processo Seletivo:

3.3.1. O processo de seleção previsto neste Edital se divide nas 5 (cinco) etapas a seguir:

ETAPA PERÍODO
Inscrição 14/08/2017 a 17/09/2017
Homologação dos projetos inscritos 19/09/2017
Analise e Julgamento 17/09/2017 a 17/10/2017
Divulgação dos projetos selecionados Outubro de 2017
Assinatura do Contrato Novembro de 2017

4 – DA INSCRIÇÃO

4.1. Podem inscrever-se nesse edital, gratuitamente, artistas, criadores, produtores, profissionais de diversas áreas e intelectuais brasileiros e internacionais, em mais de uma área, na forma de inscrições individuais ou coletivas (estas representadas por um único integrante), desde que atendam as condições previstas neste documento, quais sejam:

4.2. As inscrições serão feitas por meio do formulário digital disponível no endereço eletrônico www.bienalartedigital.com & www.festivaldeartedigital.com.br. Na etapa de inscrição não serão aceitas em nenhuma hipótese, pretexto ou justificativa, inscrições impressas, por e-mail ou qualquer outra forma diversa do formulário previsto no presente item do Edital. . Não haverá envio de nenhum tipo de documentação ou material por correio.

4.3. Realizar o preenchimento completo do formulário de inscrição. Formulários incompletos não serão validados.

4.4. Ao fazer sua inscrição, o(a) candidato(a) deverá responsabilizar-se para que o material, obrigatório ou complementar, tenha uma qualidade satisfatória para a compreensão das propostas de trabalho por parte da curadoria. Cabe exclusivamente à Comissão Organizadora julgar a qualidade dos materiais encaminhados.

4.5. Postar o material de apoio/complementar em sites de exibição de vídeos (Vimeo, YouTube, Facebook, Instagram, Behance, Tumblr, entre outros) ou na forma de links para download que não expirem.

4.6. Menores de dezoito anos poderão se inscrever nesse edital. Entretanto, caso selecionados, necessitam de autorização expressa e com firma reconhecida dos pais ou responsáveis legais para participar do festival.

4.7. Não poderão se inscrever neste Edital artistas, criadores, produtores e profissionais que sejam funcionários das empresas patrocinadoras ou de qualquer uma das empresas que fazem parte da Comissão Organizadora. Caso seja constatada tal irregularidade, mesmo que selecionado, os artistas, criadores e produtores podem ser excluídos.

5 – DO PRAZO DE INSCRIÇÃO

5.1. O Edital da Edição Bienal de Arte Digital está aberto para inscrição de trabalhos entre os dias 14 de agosto e 17 de setembro de 2017, impreterivelmente, observando-se as seguintes questões:

5.2. O prazo para inscrições não será prorrogado sob nenhuma hipótese.

5.3. Serão permitidas apenas as inscrições efetuadas até as 23h59 do dia 30 de agostos de 2017 (Horário: -03:00 GMT/Brasil).

5.4. A Comissão Organizadora não se responsabiliza por problemas técnicos gerados pelo excesso de tráfego na página durante o período de inscrições.

6 – DAS ÁREAS

6.1. Os trabalhos inscritos devem ser de cunho cultural, artístico (exposição e performances) e/ou intelectual-conceitual, pesquisa, inovação e desenvolvimento (para fins do Simpósio Internacional e Oficinas).

6.2. O FAD recebe inscrições de trabalhos que contemplem áreas artísticas e científicas, desde que atuem dentro do segmento de novas mídias e tenham como resultado arte e cultura em transversalidade com outros campos e ciências. Portanto, artistas, criadores, profissionais, produtores e grupos culturais podem enviar trabalhos, desde que estejam em consonância com as características de cada área de atuação deste edital, quais sejam:

6.2.1. FAD Performances (Apresentações/Shows/Performances Audiovisuais)

Consideram-se performances audiovisuais os projetos dedicados à apresentação artística autoral (repertório próprio). Esses trabalhos podem ser apresentados por artistas, criadores e produtores em formato individual, duplas, grupos e coletivos.

Expressões e Formatos: VideoMapping, Visual Music, Performance de Dança, Machine Performance, Vjing, Poéticas Visuais, entre outros.

Locais onde serão realizadas:
Rio de Janeiro: Auditório/Teatro Oi Futuro Flamengo
Belo Horizonte: Auditório Museu de Arte Pampulha (MAP) & Outros Espaços

Importante: Não serão aceitos para essa categoria trabalhos não autorais e que não possuam os conceitos elencados. Os trabalhos devem ter como resultado final um tema audiovisual desenvolvido conjuntamente.

6.2.2. FAD Galeria (Exposição - Instalações Artísticas/Conceituais com base tecnológica)

Serão consideradas instalações audiovisuais de arte tecnológica, trabalhos que desenvolvam conteúdo conceitual, criativo e artístico aliados à tecnologia (digital, analógica - ou híbrida) e que possam propor a interação do espectador/usuário (público). O uso de ferramentas, dispositivos e tecnologia, bem como o tema, são livres*.

Expressões e Formatos: Arte Digital, Arte Sonora, VideoArt, Instalações Imersivas, Instalações Interativas, Data Visualization, VideoDoc, Realidades diversas, entre outras.

Locais onde serão realizadas:
Rio de Janeiro: Galerias 1, 2 e 3 do Oi Futuro Flamengo
Belo Horizonte: Museu de Arte da Pampulha (MAP), Casa do Baile, Casa Kubitscheck,
Casa Fiat & Espaço Atmosphera

Importante: *Serão preferencialmente acolhidos para a seleção trabalhos que acompanhem a temática norteadora Linguagens Híbridas, propostas pela curadoria na busca de pensar os processos e desdobramentos da tecnologia em forma híbrida na vida e na sociedade por meio da arte.

6.2.3. FAD IPI - Intervenções Públicas Interativas
(Exibições/Performance/Ocupações/"Site-Specific")

Serão consideradas intervenções públicas interativas, propostas de trabalhos com base tecnológica que intervenham, ocupem, utilizem e permaneçam com conteúdo conceitual, criativo e artístico o espaço urbano (fachadas, empenas, jardins, mobiliário urbano) propondo, /ou não, a interação do espectador/usuário (público). O uso de ferramentas, dispositivos e tecnologia híbridas*.

Expressões e Formatos: VideoMapping, Public GameArt, Arquitetura Responsiva, GeoData, VR (virtual realitty), RA (realidade aumentada), MobileArt, BioArte, IOT (internet das coisas), Light Emotion, Hackerativismo, Video Guerrilha, entre outras.

Locais onde serão realizadas:
Rio de Janeiro: Átrio/Pátio externo do Oi Futuro Flamengo
Belo Horizonte: Casa do Baile, Museu de Arte da Pampulha (MAP), Atmosphera (LED
Panel)

Importante: Serão preferencialmente acolhidos para a seleção trabalhos que acompanhem a temática norteadora Linguagens Híbridas, propostas pela curadoria na busca de pensar os processos e desdobramentos da tecnologia em forma híbrida na vida e na sociedade por meio da arte.

6.2.4. FAD Laboratório (Oficinas, workshops)

Serão consideradas as propostas de oficinas e workshops de pequena duração com temática livre*. O objetivo é que esse programa aborde o desenvolvimento e/ou treinamento para utilização de novas ferramentas computacionais, programação, áudio, vídeo, criação de trabalhos de interação como software livres, entre outros, para uso profissional ou não, bem como processos de gestão e inovação no uso de novas ferramentas criativas (apps e api). São bem-vindas as atividades com foco no público infantil e grupos especiais.

Formatos: Programação, Linguagem, Escrita Digital, Processos Comunicacionais, Interfaces, Gestão de dados, Crítica e Pensamento, eletrônica, robótica, etc.

Público:
FAD Laboratório: Público Amplo – Jovens e Adultos de 16 a 60+ anos
FAD LAB para Crianças: De 8 a 12 anos
FAD LAB PRO: Profissionais (Universidade e atuantes de inovação tecnológica)

Locais onde serão realizadas:
Rio de Janeiro: a definir
Belo Horizonte: a definir

Importante: *Serão preferencialmente acolhidos para a seleção trabalhos que acompanhem a temática norteadora Linguagens Híbridas e proponham fundamentalmente o uso de programas livres (Open Source)

6.2.5. FAD Simpósio Internacional (Palestras/Painéis e Ensaios)

Serão consideradas as propostas para palestras, painéis, apresentação de estudos, ensaios científicos e conceituais, resultados de pesquisas podendo ser do aspecto teórico de práticas técnicas. Obrigatoriamente acompanha o tema central e se estende a multiárea; Linguagens Híbridas. *

Eixos: Estudos Cognitivos, Recepção, Transhumano, Comunicacionais, Estética e Estado da Arte, Crítica da Sociedade, Estudos Informacionais, Computacionais, Patrimônio, Humanidades Digitais, etc

Locais onde serão realizadas:
Rio de Janeiro: Teatro Oi Futuro Flamengo
Belo Horizonte: Auditório do Museu de Arte da Pampulha(MAP) & Auditório Casa do Baile

Importante: *Serão acolhidas as propostas da temática norteadora Linguagens Híbridas, propostas pela curadoria na busca de pensar os processos e desdobramentos da tecnologia em forma híbrida na vida e na sociedade.

7 – DA SELEÇÃO

7.1. ETAPA 1 - Pré-Seleção

7.1.1. Durante a fase de Pré-Seleção a Comissão Organizadora fará contatos com os inscritos por email para obter detalhes dos projetos, a fim de avaliar seu desenvolvimento, bem como a viabilidade orçamentária e operacional. Não haverá a publicação do resultado no site ou nos meios de comunicação nesta fase.

7.1.2. Serão realizados através da comissão organizadora estudos de viabilidade das propostas enviadas. A comunicação será diretamente com os pré-selecionados. Os estudos de viabilidade considerarão os seguintes aspectos:
a) conceito;
b) aproximação da temática Linguagens Híbridas;
c) desenvolvimento tecnológico e
d) viabilidade orçamentária e operacional;

Importante: *Está prevista a escolha de até 30 (trinta) trabalhos que vão integrar a programação nas cidades do Rio de Janeiro (RJ) e Belo Horizonte (MG), Brasil. Os pré-selecionados nesta fase não possuem participação garantida no evento.

7.1.3. No ato da inscrição, o artista, criador e/ou produtor deve observar as imagens, mapas e riders técnicos dos locais disponibilizados neste edital. Compreender entender e aceitar que a obra deverá estar dentro das condições nestes ambientes.

7.1.4. Para obras inéditas o critério é o mesmo. A montagem da obra deverá seguir os critérios técnicos solicitados na inscrição. Qualquer custo extra necessário à montagem deverá ser de responsabilidade do selecionado.

7.1.5. A escolha das obras é feita por meio da análise conceitual somada aos fatores de logística de transporte, custo, rider técnico proposto no ato da inscrição, materiais usados e disponibilidade de datas.

Critérios de seleção: (Uso exclusivo da comissão de seleção)

Critérios de Análise e Julgamento Peso
A Conceito 2
B Aproximação da temática Linguagens Híbridas 2
C Desenvolvimento tecnológico 1
D Viabilidade orçamentária e operacional 1

7.1.6. A Comissão Organizadora não se responsabiliza por qualquer custo extra, provindo de alteração no rider técnico, que o torne diferente do enviado no ato de inscrição; (a não ser em casos excepcionais).

7.2. ETAPA FINAL - Selecionados
Nesta etapa serão selecionados os projetos e propostas que vão integrar a programação da Bienal de Arte Digital. Após os estudos de viabilidade da ETAPA 1, os projetos e propostas com seus representantes inscritos passam pela fase de homologação de participação, que envolve documentação, registros, termos de anuência, autorizações entre outras ações. Somente após esta Etapa é que haverá o anúncio público dos selecionados que vão compor a programação*

Importante: * Os projetos que forem selecionados para participação em ambas as cidades do Rio de Janeiro (RJ/Brasil) e Belo Horizonte (MG/ Brasil) serão devidamente notificados, podendo alguns serem dimensionados apenas para uma das cidades elencadas.

O anúncio dos selecionados ocorrerá exclusivamente** via Site Oficial.

Importante: ** O anúncio de seleção pelos selecionados em seus sites e redes sociais deve ocorrer impreterivelmente e tão somente após as fases de homologação de participação e logo após e tão somente o anúncio oficial do evento em seu site e redes sociais, sendo a proposta ou projeto passível de exclusão da seleção e substituído por outra proposta.

A seleção e decisões da curadoria e comissão organizadora são soberanas não cabendo qualquer tipo de recurso contra os resultados.

8 - DA CONTRAPARTIDA

8.1. O FAD - Festival de Arte Digital em sua Edição Bienal de Arte Digital 2018 se compromete a proporcionar aos selecionados:

a) transporte e hospedagem (quando aplicável, principalmente, para participantes expositores, apresentadores de performances, concertos e instrutores de oficinas)
b) montagem e logística dos projetos, propostas, obras conceituais e artísticas, execução das oficinas e palestras (quando aplicável);
c) promoção e divulgação (sujeita aos limites previstos no plano de mídia do FAD/Bienal);
d) cachê de participação (quando aplicável);

9 – DO RESULTADO

9.1. O resultado dos projetos, artistas, criadores e produtores selecionados será anunciado em no máximo 45 (quarenta e cinco) dias após o término do edital, no próprio site e redes sociais do FAD.

9.2. Posteriormente, os projetos, artistas, criadores, profissionais e produtores selecionados serão divulgados para a imprensa e nos demais canais de informação.

10 – DOS SELECIONADOS

10.1. Os selecionados serão comunicados exclusivamente via e-mail. Caso não seja possível, serão contatados por telefone ou via Skype.

10.2. Os selecionados irão receber o contato de um membro da comissão organizadora, para esclarecimento de detalhes dos trabalhos e efetivação de todos os documentos necessários para garantir a participação.

10.3. Como condição para que possam participar desta edição da Bienal de Arte Digital do Festival de Arte Digital, os selecionados deverão assinar: os respectivos Termo de Acordo (o qual conterá as condições descritas nos Anexos II, III e IV deste Edital), Licenciamento de Direitos Autorais e Autorização de Uso de Imagem.

10.4. O inscrito declara estar ciente de sua obrigação de informar, sob as penas da Lei, a respeito de qualquer recurso público ou privado que esteja recebendo para a circulação de suas obras e ou realização das atividades objeto do presente Edital, a fim de evitar a duplicidade de custos para o erário. O recebimento de tais recursos não impedirá sua participação, mas restringirá o recebimento de transporte e hospedagem, conforme o caso.

10.5. Os selecionados que não responderem a tempo às exigências documentais nos prazos e limites estabelecidos após a confirmação da seleção, serão automaticamente excluídos da seleção para o evento.

11. DISPOSIÇÕES FINAIS

11.1 A participação neste edital de seleção implica a aceitação de todos os termos constantes e seus anexos, a saber:

a) Anexo I - Formulário Digital de Inscrição
b) Anexo II - Condições Gerais para Selecionados
c) Anexo III - Condições Específicas para Selecionados Estrangeiros
d) Anexo IV - Imagens e plantas técnicas do Oi Futuro Flamengo (RJ), Conjunto Moderno da Pampulha (BH), Casa Fiat de Cultura (BH), Espaço Atmosphera (BH).

11.2 Ficam definidos os sites www.bienalartedigital.com & www.festivaldeartedigital.com.br para a divulgação de quaisquer informações oficiais, sem prejuízo da utilização de outros veículos de comunicação de que a Bienal de Arte Digital venha a dispor.

11.3 Esclarecimentos sobre o conteúdo deste edital poderão ser obtidos através exclusivamente e tão somente através do email call@festivaldeartedigital.com.br

11.4 O FAD e a Bienal de Arte Digital reserva-se o direito de divulgar e utilizar, quando julgar oportuno, imagens e informações do projeto inscrito neste edital através de plataforma digital em suas ações e peças de comunicação institucional, bem como em seu site oficial na Internet e redes sociais, sem quaisquer ônus adicionais quanto ao direito de uso de imagem e informações repassadas. Todos os dados colhidos no processo deste edital integram o banco de dados do FAD - Festival de Arte Digital, para objetivos de pesquisa científica e não comerciais.

11.5. Esse edital pode ser suspenso ou cancelado, no todo ou em parte por decisão motivada de seus organizadores.

11.6 O FAD e a Bienal de Arte Digital não se responsabiliza por inscrições não concluídas devido a falhas tecnológicas, tais como problemas em servidores, na transmissão de dados, na linha de comunicação, em provedores de acesso ou, provocada pelo excesso de acessos simultâneos nos últimos dias do processo seletivo.

11.7. Os casos omissos e situações não previstas neste edital serão solucionados pela Comissão Organizadora da Bienal de Arte Digital do festival de Arte Digital.

Atenciosamente,
Comissão Organizadora
FAD
Festival de Arte Digital

ANEXO II

CONDIÇÕES GERAIS PARA OS SELECIONADOS

1. Formalização da Participação

1.1. Após a seleção, participantes que atenderem aos critérios descritos deverão em assinar, nos prazos definidos no Edital, os documentos hábeis a formalizar a sua participação na Bienal de Arte Digital, a saber: Termo de Acordo, Licenciamento de Direitos Autorais e Autorização de Uso de Imagem.

1.2. Após o período limite estipulado pela comissão organizadora serão considerados “não elegíveis a participação”, e a comissão organizadora terá o direito de selecionar outro inscrito para a vaga.

2. Transporte

2.1. O FAD proporcionará os traslados aeroporto/hotel/evento/hotel/aeroporto. Os selecionados deverão obedecer a escala com horários predeterminados e propostos pela produção, levando em conta a otimização de tempo e de esforços. Os transportes não serão individuais e exclusivos e deverão atender ao maior número de pessoas envolvidas. Caso o participante selecionado deseje optar por outros meios de transporte (táxi, Uber, ônibus, etc.) deverá fazê-lo às suas expensas. Neste caso, o FAD, não se responsabiliza pelos custos ou pela segurança do selecionado (individualmente ou grupo).

2.2. O transporte de pessoas será oferecido nas seguintes condições:

a) Transporte com origem dentro do Estado de Minas Gerais com destino a Belo Horizonte e/ou origem dentro do Estado do Rio de Janeiro com destino à capital do Rio de Janeiro: o transporte será feito por via terrestre, através de ônibus intermunicipal;

b) Transporte com origem em demais Estados brasileiros: o transporte será feito por via aérea, em categoria econômica, ou opção terrestre por solicitação do participante mediante justificativa;

c) Transporte com origem no exterior: o transporte será feito por via aérea, em categoria econômica;

2.3. Para todos os casos, a Produção Executiva e a Comissão Organizadora são responsáveis pela logística e pelo receptivo, e oferecerão opções de horários que possam atender ambas as partes (participante e evento), prevalecendo os horários que permitam a correta execução do cronograma e menores tarifas de transporte aéreo ou terrestre.

2.4. Os dados para transporte de carga devem obedecer regras da legislação nacional de mercadorias, necessitando que o artista, criador e produtor se responsabilize em retirar notas fiscais a respeito de equipamentos usados a serem transportados pela produção executiva e a Comissão Organizadora (seja por meio de transportadoras, companhias aéreas ou Correios), sem que isso gere multa junto à Secretaria da Fazenda e demais empresas de transporte por falha ou inexatidão das informações.

2.5. É de inteira responsabilidade do artista, criador e produtor o fornecimento de informações de tamanho, peso e materiais a serem transportados para que a produção executiva contratada possa orçar corretamente o meio de transporte.

3. Hospedagem

3.1. As diárias de hotel incluem café da manhã. O FAD não se responsabilizará por qualquer valor de consumo que exceda a diária regular do selecionado, tais como, mas não limitados a:

chamadas telefônicas, refeições diversas do café da manhã incluso na diária, café da manhã servido forma do horário, refeições, diárias de terceiros, check-in antecipado ou check-out atrasado, internet, lavanderia, etc.).

3.2. Objetos pessoais e equipamentos são de responsabilidade única e exclusiva dos prestadores de serviço de hotelaria.

4. Montagem e logística dos projetos, propostas, obras conceituais e artísticas, execução das oficinas e palestras

4.1. Determinados os dias e horários de montagem, em acordo com os envolvidos selecionados por meio de Check-List, o atraso da montagem não poderá acarretar na não viabilidade da exposição obra, oficina, debate ou apresentação artística. Em caso de não funcionamento por instabilidade do projeto de exposição da obra, ou não realização (no show) de oficina, debate ou apresentação artística, a programação não será alterada.

4.2. Os participantes selecionados contarão com estrutura técnica (vide rider, imagens e mapa dos espaços) e humana descrita nesse edital, como auxiliar de montagem (galeria), e/ou roadie (shows), e/ou supervisor (prod. executiva), e/ou coordenador (simpósio e oficinas) (www.bienalartedigital.com/book-tech-bienal)

4.3. No caso das obras interativas para exposição, o selecionado neste edital deverá enviar um documento em formato PDF com as instruções detalhadas da montagem e desmontagem da obra, além de instruir o supervisor e o auxiliar sobre a desmontagem da obra, e a sua acomodação adequada para transporte, lembrando que o material de armazenamento e transporte deve ser o mesmo que transportou a obra até o evento, não podendo acarretar em custos extras para a produção.

4.4. A comissão organizadora não se responsabiliza e não terá nenhum vínculo pela contratação de terceiros por parte dos participantes para a ajuda na construção de suas obras, trabalhos, performances, oficinas.

5. Promoção e Divulgação

5.1. O FAD proporcionará aos selecionados a promoção e divulgação de seus trabalhos ou atividade no âmbito do FAD por meio de mídias físicas e digitais nos limites de seu orçamento.

5.2. O selecionado se compromete a colaborar com toda e qualquer atividade de divulgação do FAD, tais como: entrevistas em jornais, canais de TV ou da internet ou programas de rádio.

6. Outras condições

6.1. A transferência de qualquer valor quando aplicável aos participantes brasileiros será feita em moeda nacional (Reais) de acordo com o cronograma acordado.

6.2. A comissão organizadora não arcará com custos de ligações telefônicas móveis ou fixas, pacote e uso de dados, estacionamento, refeições e demais serviços não previstos nos termos de cada participante.

6.3. No caso de apresentações não realizadas, esgotadas as possibilidades de reagendamento ou acordo, a comissão organizadora decidirá sobre o valor do ônus (material e imaterial), podendo ajuizar ações de indenização;

6.4. No caso de trabalhos expositivos que estejam desabilitados por qualquer motivo técnico, de programação, adaptação, ou qualquer outro nível de instabilidade por mais de 5 (cinco) dias, esta será automaticamente suspensa de exposição/programação e os participantes selecionado acatar sumariamente a decisão da comissão organizadora. (Importante: trabalhos que fazem uso de baterias de pequena voltagem ou vida útil de funcionalidade estão terminantemente descartados por esta comissão)

6.5. Trabalhos que envolvam programação específica para serem habilitadas diariamente para exibição deverão possuir manual em PDF e também em versão impressa e encadernados, a serem entregues à comissão organizadora e técnicos para que estes tenham em mãos a qualquer tempo.

6.6. A Comissão Organizadora se responsabiliza tão somente pela integridade física e de materiais e equipamentos dos selecionados e seus projetos no local e sede do festival/evento. É de responsabilidade exclusivamente do participante prezar por sua própria segurança fora do estabelecimento. Sendo assim, os envolvidos, coletivos e grupos selecionados para esse edital concordam que a Comissão Organizadora não será responsabilizada por suas ações cíveis fora do local de trabalho, devendo o selecionado participante deste edital e cidadão, se enquadrar nas legislações civis brasileiras, respondendo criminalmente por qualquer ato ilícito em sua estada nas cidades e no Brasil.

ANEXO III

CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA OS SELECIONADOS ESTRANGEIROS

1. Para os participantes estrangeiros, acrescentam-se as seguintes regras:

1.1. Todos os participantes estrangeiros deverão contratar seguro pessoal internacional de viagem, no valor mínimo de 30 mil euros e que tal seguro cubra todas as eventualidades como atendimento hospitalar, dentário, demais procedimentos médicos e seguros referentes aos materiais a serem utilizados para as atividades objeto deste Edital.

1.2. Os participantes deverão obter os vistos para entrada no território brasileiro, de acordo com as exigências da legislação Brasileira. A não obtenção deste requisito no prazo viável de logística estipulado para cada participante, desqualificará o selecionado e impedirá sua participação;

1.3. A transferência de qualquer valor quando aplicável aos participantes estrangeiros será em moeda nacional do país sede do evento (no caso, em Reais brasileiros), convertidos no dia do repasse, tendo como base a bolsa de valores brasileira BM&F BOVESPA e cotação do dólar comercial na mesma data. Os valores quando aplicáveis serão pagos integralmente e exclusivamente no Brasil.

ANEXO IV

Estão abaixo relacionados as imagens, mapas, localização e dados técnicos dos locais de cada cidade da Bienal de Arte Digital 2017.

É de inteira responsabilidade e dever dos participantes, acessarem as informações contidas nos links abaixo para o envio de suas propostas, sendo irrevogável a contestação destas informações.

BIENAL DE ARTE DIGITAL - RIO DE JANEIRO - RJ / BRASIL

Dados Técnicos: (www.bienalartedigital.com/book-tech-bienal)

BIENAL DE ARTE DIGITAL - BELO HORIZONTE - MG / BRASIL

Dados Técnicos: (www.bienalartedigital.com/book-tech-bienal)

THEME
The current configurations of Technological Art have been fused with contemporary life in a viral process of incessant exchanges between the real and the simulated world. Hybrid works are created, in which the digital and the analog, the natural and the artificial, the real and the virtual, cross. Technology has come to be seen as a constitutive factor of human life and with biotechnology, as life itself. Scientific researches are re-appropriated and transformed into artistic languages through the use of interactivity, virtuality, hybrid systems and immersion.

In addition to the digitization of information, we are now witnessing an intense process of digitization of the physical world. Simultaneously, in the midst of this rapid and exorbitant flow of information in which we live, many artists, creators, professionals, researchers and intellectuals are calling attention to the necessity of producing other rhythms, other temporalities, other realities, other spaces and silences, so that transmuting and reconfiguring a new place of utopia are possible. In this sense, what has been conventionally called the post-digital society seems to mark the transition from an era characterized by technological enchantment to another, where finding new ways to approach, conceptualize and rethink the artistic and social universe in relation to those transformations is an urgent task.

The art inserted in the post-digital time proposes a movement of escaping from the technological domain, but without completely discarding it and invites the experimentation in a plane where physical existence and digital world abstraction meet. These works explore - through alternative means of participation, interaction and collaboration between the public and the artist - haptic and synesthetic sensations of such constant updating of the human-machine relationship. More than that, they expose how the forces that constitute the condition of natural and technological existence, now more organic and symbiotic - though they have not lost their DNA in the operation of metadata and algorithms - are producing hybrid beings.

Wearable computing, the internet of things, artificial intelligence, Big Data, geolocation, the processes of robotics, automation, quantum computing and pervasive hybridism, now become material of expression. It is necessary that these tools are increasingly open, so that the innovation they bring is decoded in the most diverse cultural and technological manifestations. It means that they must be constituted through changes and modifications available in their surroundings, allowing the improvement of larger technical groups. There can be no technological development and technical innovation without a certain margin of indetermination, an opening of the machines for new couplings.

In this special edition of FAD, called the Digital Art Biennial, the goal will be to show works and concepts through which the transformations, over time, of digital processes in life, in creativity and in society through art and communication, create experiences by means of immersive hybridizations for the visitors.

Publicado por Patricia Canetti às 1:06 PM