Página inicial

Quebra de Padrão

´
 


abril 2020
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30    
Pesquise em
Quebra de Padrão:

Arquivos:
As últimas:
 

abril 3, 2020

ARTE SEMPRE: Wagner Malta Tavares no acervo da Marilia Razuk

WagnerMaltaTavares.jpg

A Galeria Marilia Razuk apresenta uma seleção de seu acervo em seu Instagram (@galeriamariliarazuk)

#WagnerMaltaTavares / #TBT #PerfumedePrincesa 300 metros de tubos de zinco formam a massa escultórica que serpenteia e executa um circuito fechado; sobe por paredes, escorrega por corrimãos, entra e sai de janelas, sobe e desce escadas e une três equipamentos do Museu da Cidade em São Paulo: A Casa da Imagem, o Beco do Pinto e o Solar da Marquesa.

Em pontos selecionados, pequenos ventiladores coloridos exalam perfumes de flores que recuperam a memória olfativa da Vila de São Paulo à época do primeiro imperador do Brasil. Em dois cômodos internos um aroma especialmente desenvolvido com mucosas dos genitais feminino e masculino, referem-se ao célebre casal de amantes da história do país.

Obra: Perfume de Princesa, instalação no Museu da Cidade de São Paulo. A instalação serpenteia por todo o espaço unindo o Solar da Marquesa de Santos, a Casa do Olhar e o Beco do Pinto por meio da sua presença física e de diferentes aromas florais e corpóreos.
_____________________

#WagnerMaltaTavares / #PerfumedePrincesa 300 meters of zinc tubes form the sculptural mass that snakes and performs a closed circuit; it goes up walls, slides through handrails, goes in and out of windows, goes up and down stairs and joins three pieces of equipment from the City Museum in São Paulo: Casa da Imagem, Beco do Pinto and Solar da Marquesa.

At selected points, small colored fans exhale perfumes of flowers that recover the olfactory memory of Vila de São Paulo at the time of Brazil's first emperor. In two internal rooms an aroma specially developed with mucous membranes of the female and male genitals, refer to the famous couple of lovers of the country's history.

Work: Princess Parfum, Installation at São Paulo City Museum. The installation meanders throughout the space gathering three historical spots, the 'Solar da Marquesa', the 'Casa do Olhar' and the 'Beco do Pinto' with its physical presence and different scents.

#WMT
#tbt
#GaleriaMariliaRazuk
#ArtInstalation
#contemporaryart
#Sculpture
#Escultura
#BrazilianArtist
#SiteSpecific

Publicado por Patricia Canetti às 12:01 PM


ARTE SEMPRE: Katia Maciel publica série loops de quarentena no Facebook

loops de quarentena

1

veja a temperatura
não a sua
a que está fazendo
lá fora
escolha a roupa
para combinar
não com você
mas com o dia
lá fora
vista-se com atenção
mesmo
as luvas
na porta lembre-se
esqueceu as chaves

comece tudo de novo

(a chave da marca unica foi feita no Brasil para o filme Notorius de Alfred Hitchcock)

loops de quarentena 1.jpg

loops de quarentena

20

jogue todas as cobertas da casa
pela janela
observe
os anjos caídos

comece de novo

(as asas do desejo. wim wenders)

loops de quarentena 20.jpg

loops de quarentena

23

costure um sonho no outro

a cada retalho
acrescente um ponto

comece de novo

(sonho de valsa. ana carolina)

loops de quarentena 23.jpg

Veja a publicação da série loops de quarentena no Facebook de Katia Maciel

Katia Maciel é artista, cineasta e poeta, pesquisadora do CNPq e professora da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1994. Em 2001 realizou o pós-doutorado em artes interativas na Universidade de Walles na Inglaterra.

Publicou, entre outros, os livros Zun (poemas 2012) Letícia Parente (org. com André Parente, 2011), O Livro de sombras (org. com André Parente, 2010), O que se vê, o que é visto (org; com Antonio Fatorelli, 2009), Transcinemas (org. 2009), Cinema Sim (org. 2008), Brasil experimental: Guy Brett (org. 2005), Redes sensoriais (em parceria com André Parente, 2003), O pensamento de cinema no Brasil (2000) e A Arte da desaparição: Jean Baudrillard (org 1997).

Realiza filmes, vídeos, instalações e participou de exposições no Brasil, na Colômbia, no Equador, no Chile, na Argentina, no México, nos Estados Unidos, na Inglaterra, na França, na Espanha, na Alemanha, na Lituânia, na Suécia e na China. Recebeu, entre outros, os prêmios: Prêmio da Caixa Cultural Brasília (2011), Funarte de Estímulo à Criação Artística em Artes Visuais (2010), Rumos Itaú Cultural (2009), Sérgio Motta (2005), Petrobrás Mídias digitais (2003), Transmídia Itaú Cultural (2002), Artes Visuais Rioarte (2000). Seus trabalhos operam com a repetição nos códigos amorosos e seus clichés e com desnaturezas.

Biografia da artista no site, conheça também o perfil na Zipper Galeria.

Publicado por Patricia Canetti às 11:30 AM


Curadores da Pinacoteca conversam com o público sobre as exposições por meio de lives

A iniciativa #pinadecasa amplia seus conteúdos digitais. Agora todo sábado, às 11h, tem live no instagram sobre as exposições com curadores da Pinacoteca, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. O conteúdo ainda fica disponível no IGTV para quem não pode assistir ao vivo.

A primeira aconteceu no último sábado (28) com o diretor-geral do museu, Jochen Volz, sobre o que esperar da exposição OSGEMEOS: segredos e teve quase 3 mil visualizações. No próximo, 4 de abril, Ana Maria Maia comenta sobre Hudinilson Jr.: Explícito, que foi recém-inaugurada no dia 14 de março na Pina Estação e poderá ser vista novamente pelo público após o retorno das atividades presenciais.

Ainda em abril, sábado (11), a curadora Fernanda Pitta fala da exposição Marcia Pastore: contracorpo. Dia 18, José Augusto Ribeiro comenta Vanguarda brasileira dos anos 1960 – Coleção Roger Wright. Fechando o mês, a curadora chefe da Pinacoteca Valéria Piccoli aborda o Modernismo.

Museu sem sair de casa

A Pinacoteca reforça os seus canais digitais para que os visitantes em casa possam aproveitar o museu. Para isso, desde o dia 18, publica em suas redes sociais diariamente uma obra da coleção do museu acompanhada de curiosidades, dados históricos e explicações dos nossos curadores. Desde que a campanha #pinadecasa foi criada, a conta da Pina no instagram (@pinacotecasp) ganhou mais de 5 mil seguidores.

Além disso, é possível fazer uma visita online pelo Tour Virtual 3D da Pinacoteca de São Paulo, criado pela empresa iteleport, que está disponível no site do museu (www.pinacoteca.org.br). Ainda pelo Google Arts and Culture (https://bit.ly/3aG3jFA), o público também pode visitar sem sair de suas residências.

Pinacoteca

O museu segue as orientações do Governo do Estado de São Paulo e divulgará sua programação atualizada assim que possível.

A exposição OSGEMEOS: Segredos, que abriria dia 28/03, foi adiada e, quando possível, uma nova data será anunciada. A exposição Hudinilson Jr.: Explícito, que teve sua abertura no dia 14 de março, no Edifício Pina Estação, bem como as outras exposições em cartaz poderão ser vistas novamente após o retorno das atividades.

A situação segue continuamente sendo monitorada e reavaliada com base em informações e recomendações do Governo do Estado de São Paulo.

Lives
Aos Sábados, às 11h
Instagram: @pinacotecasp

04/04
Ana Maria Maia
Hudinilson Jr.: Explícito

11/04
Fernanda Pitta
Marcia Pastore: Contracorpo

18/04
José Augusto Ribeiro
Arte no Brasil: Uma história na Pinacoteca de São Paulo. Vanguarda brasileira dos anos 1960 – Coleção Roger Wright

25/04
Valéria Piccoli
Modernismo

Publicado por Patricia Canetti às 11:00 AM


ARTE SEMPRE: Grupo Corpo Free Streaming #2 - Triz e Parabelo

Continuando a sequência de vídeos para assistir gratuitamente, Triz e Parabelo já estão disponíveis no Vimeo.

29 de março a 5 de abril de 2020

Como assistir:
1. Acesse vimeo.com/grupocorpo
2. Faça login em sua conta.
3. Selecione um dos vídeos contemplados na promoção.
4. Clique em Alugar (NÃO preencha dados de cartão de crédito).
5. No campo “aplicar código promocional” digite: grupocorpo45anos

Grupo Corpo - Triz (2013)
Apresentação gravada no Palácio das Artes - Belo Horizonte/ agosto 2013

Sobre uma trilha original do compositor pernambucano Lenine, operada apenas por instrumentos de corda, o Grupo Corpo explora a tensão inerente ao processo criativo onde, muitas vezes, tudo parece "estar por um triz".

Coreografia: Rodrigo Pederneiras
Música: Lenine
Cenografia: Paulo Pederneiras
Figurino: Freusa Zechmeister
Iluminação: Paulo Pederneiras

Grupo Corpo - Parabelo (1997)
Apresentação gravada no Palácio das Artes - Belo Horizonte/ agosto 2013

Escrever na língua nativa a palavra balé (assim, com um ele só e acento agudo) tem sido a busca consciente e obstinada de Rodrigo Pederneiras desde o antológico 21, de 1992. A inspiração sertaneja e a transpiração pra lá de contemporânea da trilha composta por Tom Zé e José Miguel Wisnik para Parabelo, de 1997, permitiram ao coreógrafo do Grupo Corpo dar vida àquela que ele mesmo define como a “a mais brasileira e regional” de suas criações.

De cantos de trabalho e devoção, da memória cadenciada do baião e de um exuberante e onipresente emaranhado de pontos e contrapontos rítmicos, emerge uma escritura coreográfica que esbanja jogo de cintura e marcação de pé, numa arrebatadora afirmação da maturidade e da força expressiva da gramática construída ao longo de anos pelo arquiteto de Missa do Orfanato e Sete ou Oito Peças para um Ballet.

Publicado por Patricia Canetti às 10:36 AM


abril 2, 2020

CANAL NO TUBO Cidade Submersa de Caetano Dias


1978 - Cidade Submersa from Caetano Dias on Vimeo.

No vídeo 1978 – Cidade submersa, o limite entre ficção e realidade é tão tênue que uma se deixa atravessar pela outra. O mergulho na antiga cidade de Remanso, submersa nas águas, ecoa várias das colocações anteriores: águas, memórias e um ser que se relaciona com a morte. Seja a morte de uma cidade, visível pela presença da caixa d’água, situada agora dentro da represa, ou a que todos nós temos que defrontar, como condição humana. A fascinação pela zona fronteiriça entre vida e morte, entre o erótico e o sagrado, entre construção e dissolução, é marca constante no trabalho de Caetano.

Entre um ser e outro há sempre um abismo, o outro é sempre outro, mas a tentativa de união persiste. A corda do barco, que aparece no final do vídeo de Remanso e que conecta a embarcação ao fundo, remete a esse desejo de uma relação, consciente e inconsciente.

Cláudia Pôssa

Sinopse: O vídeo 1978 – Cidade Submersa, que mostra a relação de um pescador com as lembranças da sua antiga cidade. Trata-se de um documentário sobre alguém que navega e pesca sobre as próprias memórias. O filme versa sobre saudades soterradas.

1978 – Cidade Submersa
Um filme de Caetano Dias
Duração: 16 minutos e 17 segundos
Formato: HD
Ano: 2010
Direção: Caetano Dias
Direção de produção: Marta Luna
Direção de fotografia: Wallace Nogueira
Assistência de fotografia: Tatiana de Lima
Montagem: Dunia Quiroga
Som direto: Paulo de Souza (Palito)
Trilha original: Wilson Sukorski
Pesquisa: Caetano Dias e Fabíola Aquino
Imagens dos filmes "Adeus rodelas" e "Não houve tempo sequer para as lágrimas" de Agnaldo Siri Azevedo.
Com: Rodolfo Lino de Souza, Cícero Santos Ferreira
Figurantes: Rubens dos Santos, Danilo dos Santos, Bartolomeu Sansão, Reginaldo Barbosa
Câmera: Tatiana de Lima, Wallace Nogueira, Cícero Santos Ferreira
Assistente técnico: Paulo de Souza (Palito)
Apoio: Vogal Imagem, Candonbá Filmes

Este filme é resultado da pesquisas desenvolvidas na residência do prêmio LE FRESNOY Videobrasil, França/2009.
Filmado na cidade de Remanso, Bahia, Brasil.
©1978 - Cidade Submersa

SOBRE CAETANO DIAS

As relações entre corpo e identidade, e memória e pertencimento são alguns dos principais eixos da pesquisa do artista, que trabalha com vídeo, videoinstalação, filme, fotografia, instalação e performance. Foi premiado no 16º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil (2007) com residência no Le Fresnoy, em Tourcoing, França. Dentre as exposições coletivas, destacam-se Do Valongo à Favela, Museu de Arte do Rio de Janeiro (2014); III Bienal da Bahia (2014) e 29º Panorama da Arte Brasileira, Museu de Arte Moderna de São Paulo (2005). Vive e trabalha em Salvador.

Perfil do artista no Videobrasil, veja também a biografia na Paulo Darzé Galeria.

Publicado por Patricia Canetti às 5:05 PM