Página inicial

Cursos e Seminários

 


novembro 2016
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30      
Pesquise em
Cursos e Seminários:

Arquivos:
novembro 2016
outubro 2016
setembro 2016
agosto 2016
julho 2016
junho 2016
maio 2016
fevereiro 2016
janeiro 2016
novembro 2015
outubro 2015
setembro 2015
agosto 2015
julho 2015
junho 2015
maio 2015
abril 2015
março 2015
fevereiro 2015
dezembro 2014
novembro 2014
outubro 2014
setembro 2014
agosto 2014
julho 2014
junho 2014
maio 2014
abril 2014
março 2014
fevereiro 2014
janeiro 2014
dezembro 2013
novembro 2013
outubro 2013
setembro 2013
agosto 2013
julho 2013
junho 2013
maio 2013
abril 2013
março 2013
fevereiro 2013
janeiro 2013
dezembro 2012
novembro 2012
outubro 2012
setembro 2012
agosto 2012
julho 2012
junho 2012
maio 2012
abril 2012
março 2012
fevereiro 2012
janeiro 2012
dezembro 2011
novembro 2011
outubro 2011
setembro 2011
agosto 2011
julho 2011
junho 2011
maio 2011
abril 2011
março 2011
fevereiro 2011
janeiro 2011
novembro 2010
outubro 2010
setembro 2010
agosto 2010
julho 2010
junho 2010
maio 2010
abril 2010
março 2010
fevereiro 2010
janeiro 2010
dezembro 2009
novembro 2009
outubro 2009
setembro 2009
agosto 2009
julho 2009
junho 2009
maio 2009
abril 2009
março 2009
fevereiro 2009
janeiro 2009
dezembro 2008
novembro 2008
outubro 2008
setembro 2008
agosto 2008
julho 2008
junho 2008
maio 2008
abril 2008
março 2008
fevereiro 2008
janeiro 2008
dezembro 2007
novembro 2007
outubro 2007
setembro 2007
agosto 2007
julho 2007
junho 2007
maio 2007
abril 2007
março 2007
fevereiro 2007
janeiro 2007
dezembro 2006
novembro 2006
outubro 2006
setembro 2006
agosto 2006
julho 2006
junho 2006
maio 2006
abril 2006
março 2006
fevereiro 2006
As últimas:
 

novembro 27, 2016

Estudo inédito sobre Lei Rouanet marca segunda etapa de seminário no Studio Clio, Porto Alegre

Ex-Secretário de Fomento do MinC, Henilton Menezes, realiza sessão de autógrafos do livro "A Lei Rouanet muito além dos (f)atos".

29 de novembro, a partir das 17h, no café do Studio Clio

Academia-Seminário A Reinvenção da Produção Cultural - que acontece no Studio Clio, em Porto Alegre/RS - discute o uso estratégico das leis de fomento e inovação na captação de recursos para projetos culturais.

28 e 29 de novembro, das 19h às 22h, e 29 e 30 de novembro, das 9h às 12h, no Studio Clio

Studio Clio
Rua José do Patrocínio 698, Centro, RS
51-3254-7200 ou clio@studioclio.com.br
Inscrições online

APRESENTAÇÃO

Nos dias 28, 29 e 30 de novembro acontecem os dois últimos módulos da Academia-Seminário A Reinvenção da Produção Cultural, promovida pelo StudioClio, em Porto Alegre/RS. O Seminário conta com a participação de renomados gestores do país e de Porto Alegre, e contribui para a busca de alternativas inovadoras para a organização, o financiamento, a comunicação e a mobilização de novos públicos para a realização de diferentes tipos de projetos culturais.

A colaboratividade, o crowdfunding, a participação da pessoa física no uso estratégico das leis de fomento e o uso das tecnologias digitais para potencializar os modos de financiamento serão os temas analisados no módulo que acontece nos dias 28 e 29. Os palestrantes Aline Bueno (fundadora e gestora do Vila Flores, complexo cultural colaborativo do 4º Distrito de Porto Alegre), Solanda Steckelberg (criadora do mais bem sucedido sistema de captação junto à pessoa física do Brasil) e Vitor Ortiz (gestor cultural, ex-Secretário-Executivo do MinC) discutem novas formas de viabilizar projetos culturais.

O último módulo da Academia-Seminário apresenta o estudo inédito - recentemente desenvolvido pelo ex-Secretário de Fomento do MinC, Henilton Menezes - sobre os 25 anos de existência da lei Federal de Incentivo à Cultura, em análise ponderada de seu desempenho histórico e seu impacto na vida dos brasileiros. Denise Viana Pereira, que foi diretora do sistema LIC, compara e analisa o desempenho da lei Estadual.

Na ocasião, Menezes autografa o seu recém-lançado livro A Lei Rouanet muito além dos (f)atos. Com uma linguagem acessível, a publicação é um dos mais completos estudos sobre a Lei, no que diz respeito à análise de dados do Sistema de Apoio à Lei de Incentivo à Cultura - Salic, e dos impactos nas áreas da cultura, envolvendo todos os seus agentes - proponentes, investidores e captadores de recursos. A sessão de autógrafos é aberta ao público e acontece no dia 29 de novembro, a partir das 17h, no café do Studio Clio.

As inscrições para o Seminário estão abertas. Serão oferecidas duas turmas - uma pela manhã e outra à noite - com vagas limitadas. Quem se inscrever para os dois módulos recebe um exemplar do livro gratuitamente. Já quem se inscrever apenas para o último módulo, tem desconto de 50% na compra do livro. Confira abaixo o serviço completo e os valores.

PROGRAMAÇÃO

Módulo 3 - A participação da pessoa física no incentivo à cultura, o crowdfunding e a colaboratividade
Turma 1: 28/11 - segunda-feira - das 19h às 22h
Turma 2: 29/11 - terça-feira - das 9h às 12h

:: Novas formas de viabilizar projetos culturais. A tecnologia digital com suas novas formas e soluções impactam a produção cultural e potencializam os modos de financiamento à cultura. A colaboratividade, o crowdfunding e a participação da pessoa física no uso estratégico das leis de fomento são analisadas nesta mesa, que conta com a participação de Aline Bueno (fundadora e gestora do Vila Flores, complexo cultural colaborativo do 4º Distrito de Porto Alegre), Solanda Steckelberg (criadora do case Vivas de captação junto à pessoa física de Belo Horizonte) e Vitor Ortiz (gestor cultural, ex-Secretário-Executivo do MinC).

Aline Bueno - Formada em Publicidade e Propaganda pela PUCRS (2002), possui MBA em Gestão Empresarial pela FGV-RS (2004) e Especialização em Economia da Cultura, pela UFRGS (2014). Breve passagem pela Arquitetura e Urbanismo da PUCRS (2010-2011). Atualmente, trabalha como autônoma na gestão de projetos no Vila Flores - Centro de Cultura, Educação e Negócios Criativos e realiza trabalho voluntário no Projeto Vizinhança, ambos em Porto Alegre, RS.

Solanda Steckelberg - Jornalista, relações públicas, gestora e produtora cultural, sócia da Vivas Cultura e Esporte e da empresa Ateliê 22 Arte e Cultura. Atuou nos âmbitos federal, estadual e municipal como funcionária, conselheira, consultora, jurada e empreendedora. Foi presidente da Fundação Clóvis Salgado, Diretora Executiva da Fundação Municipal de Cultura, Assessora da Presidência da República - SECOM. Também trabalhou em instituições privadas de pequeno, médio e grande porte, com iniciativas independentes e participou de missões internacionais. Especializada em Gestão do Patrimônio Cultural e Gestão e Comunicação Empresarial. Atualmente é estudante de Direito.

Vitor Ortiz - Foi Secretário-Executivo do Ministério da Cultura, diretor da Funarte no Rio de Janeiro e secretário de cultura de Porto Alegre, São Leopoldo e Viamão. Integrou o grupo redator da Agenda 21 da Cultura, documento de referência para a gestão cultural de governos de cidades nos cinco continentes, traduzido para 19 idiomas. Atualmente, é um dos coordenadores do projeto Virada Sustentável POA e participa da gestão de diversas outras iniciativas culturais.

Módulo 4 - Um balanço dos 25 anos da Lei Rouanet e uma análise do Sistema Pró-Cultura
Turma 1: 29/11 - terça-feira - das 19h às 22h
Turma 2: 30/11 - quarta-feira - das 9h às 12h

A lei Rouanet muito além dos (f)atos e a LIC-RS em perspectiva. A mesa apresenta o estudo inédito - recentemente desenvolvido pelo ex-Secretário de Fomento do MinC, Henilton Menezes - sobre os 25 anos de existência da lei Federal de Incentivo à Cultura, em análise ponderada de seu desempenho histórico. O trabalho está publicado em livro que será lançado concomitantemente à realização desta Academia-Seminário. Denise Viana Pereira, que foi diretora do sistema LIC, compara e analisa o desempenho da lei Estadual.

Denise Viana Pereira - Bacharel em Comunicação Social, é Especialista em Economia da Cultura pela UFRGS e Teoria de Jornalismo e Comunicação de Massas pela PUC/RS. Atuou na gestão pública de cultura por 16 anos. Foi Diretora de Economia da Cultura da Secretaria de Estado da Cultura do RS de 2011 a 2014 sendo a responsável pela implantação do Fundo de Apoio à Cultura do RS e pelo lançamento de 14 editais para seleção de projetos culturais. Atualmente trabalha na equipe da Virada Sustentável de Porto Alegre e na Liga Produção Cultural.

Henilton Menezes - Autor do recém-lançado livro A Lei Rouanet muito além dos (f)atos - um estudo sobre os vinte anos da Lei Rouanet, é jornalista, gestor cultural, produtor musical e produtor cinematográfico. Foi gestor de cultura do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) entre 2003 e 2009, sendo responsável pela concepção e gestão dos editais de cultura e pela instalação e gestão dos centros culturais do BNB em Sousa (PB), Juazeiro do Norte (CE) e Fortaleza (CE). Exerceu a função de Secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura entre 2010 e 2013. Atualmente é sócio-diretor da Grimpa Consultoria e Gestão Cultural.

VALORES

2 encontros: R$ 398,00 (na inscrição para os dois módulos, o participante recebe gratuitamente o livro A Lei Rouanet muito além dos (f)atos, de Henilton Menezes)
1 encontro: R$ 199,00 (com direito a desconto de 50% para a compra do livro)

Somente o livro: R$ 100,00

Formas de pagamento:
Pagamento 5% de desconto à vista
Pagamento em até 3 vezes nos cartões de crédito.

Publicado por Patricia Canetti às 5:59 PM


novembro 6, 2016

III Colóquio de Teoria, Crítica e História da Arte da Universidade de Brasília

O III Colóquio de Teoria, Crítica e História da Arte da Universidade de Brasília vai ocorrer entre os dias 9 e 11 de novembro de 2016, com três conferências de importantes críticos, historiadores e curadores da arte brasileira: Tadeu Chiarelli, Luiz Camillo Osorio e Michael Asbury. As conferências estão marcadas para o auditório do Museu Nacional na Esplanada dos Ministérios, e as diversas mesas redondas e apresentação de trabalho de pesquisa na Biblioteca da Universidade de Brasília - UnB. (Ver programação completa abaixo.)

Inscrições online para ouvintes - acesse aqui

Tadeu Chiarelli é professor-titular do Departamento de Artes Plásticas da Universidade de São Paulo, leciona na graduação e pós-graduação, orientando pesquisas em História, Crítica e Teoria da Arte. Foi curador-chefe do Museu de Arte Moderna de São Paulo e diretor do Museu de Arte Contemporânea da USP. Atualmente, coordena o Centro de Estudos Arte&Fotografia e o Grupo de Estudos em Crítica de Arte e Curadoria, ambos no Departamento de Artes Plásticas da ECA-USP. Em abril de 2015, assumiu a Pinacoteca do Estado de São Paulo, como Diretor Geral. Entre os livros publicados encontram-se “Um Modernismo que veio depois” (2012), “Pintura não é só beleza. A crítica de arte de Mário de Andrade” (2007), “Arte Internacional Brasileira” (1999), “Um Jeca nos Vernissages” (1995).

Luiz Camillo Osório é crítico de arte, curador independente e professor de estética no departamento de filosofia da PUC-RJ. Desde 2009, é curador do Museu de Arte Moderna (MAM), Rio de Janeiro. Foi diretor do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (RJ), colaborador da EXIT-Express (Madri) e participou do conselho de curadoria do MAM/SP. Publicou, entre outros livros, "Flavio de Carvalho” (2009), "Abraham Palatnik" (2004) e “Ângelo Venosa” (2008), todos pela editora Cosac Naify.

Michael Asbury é historiador de arte, crítico e curador anglo-brasileiro. É Professor Assistente no Research Centre for Transnational Art, Identity and Nation (TrAIN) na University of the Arts London (UAL). Em seu PHD, investigou a obra de Hélio Oiticica e sua relação com o modernismo e as culturas populares brasileiras. Como curador, trabalhou em diversas instituições, entre elas: Tate Modern, Camden Arts Centre, Embaixada Brasileira em Londres, Galeria Milan, Galeria Nara Roesler (SP) e no Museu de Arte Contemporânea de Fortaleza. Suas exposições e seus textos incluem diversos artistas brasileiros com reflexões sobre as esculturas e as experiências artísticas em espaços abertos e fechados.

Nas duas últimas edições, o Colóquio de Teoria, Crítica e História da Arte debateu o papel do artista como professor e a produção da História da Arte no Brasil atual. No segundo colóquio houve mais de 300 participantes, e é o único evento dessa natureza no centro-oeste. Além das conferências, estão agendadas mesas redondas e apresentação de trabalhos acadêmicos, selecionado pela comissão científica formada pelos críticos e historiadores da arte Ana Maria Pimenta Hoffmann, Fernanda Pitta, Taísa Palhares, Paula Braga, Bruno Sérgio Martins, e Biagio D'Angelo. A programação completa em documento anexo.

PROGRAMAÇÃO

DIA 9/11/2016

16h – 20h: Recepção e credenciamento
Local: Museu Nacional

18h30 – 19h: Sessão de abertura
Local: Museu Nacional

19h-20h30 Conferência: Prof. Dr. Tadeu Chiarelli (ECA-USP)
Local: Museu Nacional

DIA 10/11/2016

9h-10h30: Mesa coordenada 1 - Arte e crítica no Brasil e na Europa: diálogos I

Local: VIS - Auditório

9h-9h15 - Maria da Conceição Lima Alves (UnB) - Crítico e pintor na periferia da periferia: o olhar de Chabloz sobre Chico da Silva

9h15-9h30- Milena Lamoia Guerson (UFT) -Singularidades da crítica na abordagem da obra de Vieira da Silva e Arpad Szenes

10h45-11h - Renata Rocco (PPGEA/USP) - O caso de Danilo di Prete: recepção e atuação junto à crítica de arte italiana e brasileira

11h15-11h30 - Marina Barzon Silva (PPGEA/USP) - Lionello Venturi, a prática crítica e a história da arte

10h-10h15 - Debate

10h15-10h30 - Intervalo

9h-10h30: Mesa coordenada 2 - A crítica perante a ditadura: arte, repressão e democratização
Local: VIS – Sala 6

9h-9h15 - Rachel Vallego Rodrigues (PPGEA/USP) - I Ciclo de debate do Teatro Casa Grande - autoconfissão pública da cultura brasileira

9h15-9h30 - Uriel Bezerra (UFBA) - Crise da crítica, crise da arte: os espaços da crítica de arte no Brasil após o AI-5

9h30-9h45 - Fabricia Lira Jordão (PPGAV/ECA-USP) - A requalificação do fazer politico nos anos 80: artes visuais e a redemocratização

9h45-10h - Debate

10h-10h30 – Intervalo

10h30-12h: Mesa coordenada 3 - Arte e crítica no Brasil e na Europa: diálogos II
Local: VIS - Auditório

10h30 -10h45 - Ludmila Patriota (PPGS/UFPE) - O exercício crítico da "obra de arte como situação”: Beckett pelos Irmãos Guimarães

11h-11h15 - Ana Gonçalves Magalhães (MAC-USP) - Notas sobre a historiografia da arte italiana e sua presença no Brasil

11h15-11h30 - Adriana Nakamuta (Colégio de Aplicação/UFRJ) - Hannah Levy - História e Crítica da Arte no Brasil

11h30-11h45 – Debate

10h30-12h: Mesa coordenada 4 - Outros espaços I: mercados
Local: VIS – Sala 6

10h30-10h50 - Bruna Fetter (PPGAV/UFRGS) - O papel do mercado na legitimação artística e os reflexos para uma história da arte em construção

10h50-11h10h - Gabriela Caspary (PPGARTES/UERJ) - Petite Galerie (1954-1988) - um recorte sobre quatro décadas de arte no Brasil

11h10-11h30 - Paula Martins Borela (UFU) - A formação do mercado de artes plásticas em Uberlândia: documentação e crítica

11h30-11h45 - Debate

12h-14h - Almoço

14h - 15h30: Mesa coordenada 5 - Outros espaços II: instituições
Local: Biblioteca – Auditório

14h -14h15 - Anna Paula da Silva (UFBA) - A crítica de arte na aquisição de obras para os acervos de museus: o catálogo do 15º Salão de Artes da Bahia

14h15-14h30 - Ana Maria Maia Antunes (ECAUSP) - Nascidos pós-1964: a representação da juventude no Antarctica Artes com a Folha

14h30-14h45 - Renato de Andrade Maia Neto (FAU/USP)- 10a. Bienal de SP (1969): o boicote da crítica e dos artistas

14h45-15h - Luiza Malder (PPGEA/USP) - Por uma arte pobre: um estudo de caso das mostras Arte y Ideologia e Do Corpo à Terra

15h-15h15 - Debate

14h - 15h30: Mesa coordenada 6 – Século XIX e as questões do restauro
Local: Biblioteca – Sala de Treinamento

14h-14h15 - Maria Antonia Couto da Silva (IARTE/UFU) - Crítica de arte no Brasil no final do século XIX

14h15-14h30 - Maria do Carmo Couto da Silva (UnB) - A arte francesa na crítica de José Duarte Ramalho Ortigão e de Mariano Pina

14h30-14h45 - Pedro Augusto Vieira Santos (USP) - O reconhecimento da obra de arte - diálogo entre crítica, história da arte e restauro

14h45-15h - Debate

15h – 15h30 Intervalo

15h30 – 17h30 - Mesa-redonda: Re-Pensamentos: a ética do olhar na arte contemporânea
Local: Biblioteca – Auditório

15h30-15h50 - Biagio D’Angelo (UnB) - Questões de céu. De Correggio a Carmela Gross

15h50-16h10 - Luís Edegar Costa (UFRGS) - O espectador dos metaesquemas

16h10-16h30 - Maria Adélia Menegazzo (UFMS) - A beleza entre a pedra e a pluma: ética na poética contemporânea

16h30-16h50 - Marcelo Mari (UnB) - Arte de rua e as manifestações Fora Temer

16h50-17h30- Debate

19h – 20h30 Conferência - Prof. Dr. Luiz Camillo Osorio (PUC-RJ)

DIA 11/11/2016

9h- 10h30: Mesa coordenada 7 - Contextos e especificidades: crítica, cidades e culturas I

Local: Biblioteca – Sala de Treinamento

9h-9h15 - Ricardo Taga (UnB) - O debate crítico no contexto carioca dos anos 60 e 70

9h15-9h30 - Pedro Ernesto Freitas Lima (PPGARTE/UnB) - A bica de Marepe: representação e reconstrução

9h30-9h45 - Marcelo Mari (UnB) - Brasília na encruzilhada: plano, realidade e exclusão

10h-10h15 - Debate

10h15 -10h30 - Intervalo

9h - 10h30: Mesa coordenada 8 - A voz do artista
Local: Biblioteca – Auditório

9h-9h15 - Matheus Silva Furtado (PPGARTE/UnB) - Marcelo Grassmann - um imaginário sob entrevista

9h15-9h30 - Mariana Lacerda (PPGHA/UNIFESP) - Abstracionismo informal em São Paulo: a obra de Zita Viana de Barros

9h30-9h45 - Maria Beatrice Trujillo Rodrigues e Jaime Solares Carmona - Hiatos Secos

9h45-10h15 – Debate

10h15 – 10h30 - Intervalo

10h30 - 12h: Mesa coordenada 9 - Contextos e especificidades: crítica, cidades e culturas II
Local: Biblioteca – Sala de Treinamento

10h30-10h45 - Carolina Barbosa de Melo (PPGHA/UNIFESP) - Flávio Motta indisciplinar - recontextos no final da década de 1960

10h45-11h00 - Maria Zmitrowicz Lopes (PPGEA/USP) - Cidade Nova Síntese das Artes

11h-11h15 - Tatiana Sampaio Ferraz (IARTE/USP) - ANOS 1970: a virada urbana e o experimentalismo na arte

11h15-11h30 - Debate

10h30 - 12h: Mesa coordenada 10 - O oficio do crítico
Local: Biblioteca - Auditório

10h30-10h45 - Fernanda Lopes (PPGAV-EBA/UFRJ) - Francisco Bittencourt: Arte-Dinamite

10h45-11h - Maykson Cardoso (PPGAV-EBA/UFRJ) - A profanação como outro paradigma na apropriação da arte contemporânea brasileira.

11h-11h15 - Renata Rufino (PPGHIS/UFRJ; CEFET/RJ) - A crítica modernista de Sérgio Milliet em revistas de vanguarda dos anos 1920

11h15-11h30 - Beatriz Morgado de Queiróz (Pós-ECO/UFRJ) - Oiticica e Brett: o artista, o crítico e o fazer curatorial na Experiência Whitechapel

11h30-11h45 - Debate

12h15-14h – Almoço

14h - 15h30: Mesa coordenada 11 - Discursos contra-hegemônicos: crítica, gênero e raça

Local: Biblioteca – Sala de Treinamento

14h-14h15 - Roberta Ferreira Aleixo (IFRJ) - A crítica como contribuição a uma história da arte afro-brasileira

14h15-14h30 - Raisa Ramos de Pina (PPGARTE/UnB) - O feminino contemporâneo: uma leitura de My Bed de Tracey Emin como natureza-morta

14h30-14h-45 - Marilene Corrêa Maia (EBA/UFRJ) - O olhar singular de Luiz Saia - a emergência da noção arte popular brasileira

14h45-15h -Debate

15h15-15h30 - Intervalo

14h - 15h30: Mesa coordenada 12 - A crítica perante o Outro
Local: Biblioteca – Auditório

14h -14h15 - Flavia Damato (IAD/UFJF) - A potência criadora de Alceu Rodrigues

14h15-14h30 - Paula Vaz Guimarães de Araújo (PPGARTE/UNIFESP) - Artistas ou alienados - evidências de um debate crítico

14h30-14h45 - Victor Raphael Vidal (PPGCA/UFF) - Mário Pedrosa no Japão: crítica e curadoria

14h45-15h - Natalia Candido (SEMED/MACAÉ; SEEDUC-RJ). Um estudo sobre o gênero feminino na produção das artistas Cindy Sherman e Sophie Calle

15h-15h15 - Debate

15h15-15h30 – Intervalo

15h30 - 17h00: Mesa coordenada 13 - Discursos híbridos: fronteiras das artes e da crítica de arte
Local: Biblioteca – Sala de Treinamento

15h30 -15h45 - Tammy Senra Genú (IAD-UFJF) - Homenagem a Oswaldo Goeldi

15h45-16h - Thamara Venâncio de Almeida (IAD/UFJF) - A videoarte nos anos 1970 na visão de críticos e historiadores brasileiros

16h-16h15 - Marília Solfa (FAU/ USP) - Aproximações contemporâneas entre arte e design: distintas interpretações críticas

16h15-16h30 - Ana Paula França (UFPR) - Bienal Brasileira de Design, curadoria e crítica: dimensões do discurso de Adélia Borges

16h30-16h45 – Debate

15h30 - 17h00: Mesa coordenada 14 - Territórios da teoria
Local: Biblioteca – Auditório

15h30- 15h45 - Antonio Leandro de Souza Barros (IFCH/UNICAMP) - O não-dado de uma história da arte antes da historia da arte

15h45-16h - Francisco Dalcol (PPGAV/UFRGS)- Antagonismo e dissenso frente ao julgamento ético da intencionalidade artística

16h-16h15 - Sávio Damato Mendes (PPGLETRAS/UFJF)- Desdobramentos e influências da crítica e pensamento modernista na contemporaneidade

16h15-16h30 – Debate

19h30 – 21h30 Conferência - Michael Asbury (University of the Arts, Londres)
Local: Museu Nacional

Publicado por Patricia Canetti às 10:14 PM


outubro 23, 2016

Palestras sobre Arte, valor e mercado no Santander, Porto Alegre

O campo artístico tem tido dificuldade em compreender os processos de formação de valor da arte, considerando seus aspectos simbólicos e, principalmente, mercadológicos. Neste evento propomos abrir esta discussão a partir das pesquisas de duas especialistas focadas nestas problemáticas, no Brasil e no mundo, desde o início do século XX até a contemporaneidade. Um debate que diz respeito tanto a artistas, críticos, galeristas, produtores, colecionadores e demais interessados nas práticas artísticas.

Palestrantes: Ana Letícia Fialho e Maria Lucia Bueno

Público alvo: artistas, galeristas, produtores culturais, críticos, curadores, estudiosos, colecionadores, investidores e demais interessados.

27 de outubro de 2016, quinta-feira, 10h às 13h e 14h30 às 17h30

Santander Cultural - Sala Multiuso Leste
Rua Sete de Setembro 1028, Porto Alegre, RS
Informações: 51-3286-2615, 9916-8818 ou por email
Inscrições online
O curso oferece certificado de conclusão pelo PPGAV/UFRGS. Vagas limitadas!
Realização: Programa de Pós-graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da UFRGS e Galeria de Arte Mamute

EMENTA

A CONSTRUÇÃO DO VALOR NA ARTE MODERNA E NA ARTE CONTEMPORÂNEA.
Com Maria Lucia Bueno - Mediação Maria Amélia Bulhões
Das 10h às 13h

A construção do valor na arte moderna e na contemporânea é um processo altamente complexo, que se desenvolve em diferentes escalas (local e transnacional) entre as instituições e o mercado, envolvendo uma constelação de agentes, eventos e operações. Nesta apresentação, embasada em pesquisas recentes e tendo como referências alguns casos exemplares, vamos abordar a questão a partir de três instâncias específicas: as coleções, as exposições e os arquivos.

Maria Lucia Bueno é pesquisadora e professora da Universidade Federal de Juiz de Fora, onde atua nos Programas de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens e em Ciências Sociais. Realizou diversos estágios de pesquisa em nível de pós doutorado no exterior, dos quais os mais recentes foram realizados no Institut d'études européennes (Université Paris 8, 2015-16) e no departamento de sociologia da New School for Social Research (New York, 2016), ambos financiados pela Capes. Com pesquisas nas áreas de sociologia da cultura e da arte, e história social da arte, publicou entre outros, Artes Plásticas no Século XX: Modernidade e Globalização (Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp/IMESP/FAPESP, 2001 e em versão eletrônica em Houston, ICAA/MFAH, 2015) e Sociologia das Artes Visuais no Brasil (São Paulo: Editora do Senac, 2012).

O MERCADO E O SISTEMA DE ARTE CONTEMPORÂNEA NO BRASIL
Com Ana Letícia Fialho - Mediação Niura Borges
Das 14h30 às 17h30

O sistema da arte contemporânea no Brasil viveu recentemente um período bastante positivo, de grande visibilidade, dinamismo, expansão e internacionalização. Nesse processo, o crescimento do mercado e os interesses mobilizados por seus agentes (artistas, galeristas e colecionadores) parecem ter sido determinantes. Atualmente, o contexto nacional já não é tão favorável, a instabilidade política e a estagnação da economia estão afetando o campo da cultura, e há fortes indícios de retração dos investimentos públicos e privados no campo da arte contemporânea, enquanto o processo de internacionalização da produção e do mercado parece prosseguir. A fim entender o impacto dessas mudanças recentes na (re)configuração do sistema da arte no Brasil, neste seminário retomaremos dados de pesquisas que apontam para um forte desequilíbrio entre a esfera de produção, o mercado e as instituições.

Ana Letícia Fialho é Doutora em ciências da arte e da linguagem pela Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais de Paris (EHESS) e bacharel em direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é gerente executiva do Programa Cinema do Brasil e pesquisadora associada ao Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB/USP). Com mais de quinze anos de experiência profissional nas áreas de ensino, pesquisa e gestão cultural, já atuou junto a organizações como a Associação Brasileira de Arte Contemporânea (ABACT), o Fórum Permanente, a Fundação Iberê Camargo, a Bienal do Mercosul, o Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía, o Ministério da Cultura, entre outras.É co-autora do livro O valor da obra de arte (Metalivros, 2014).

Publicado por Patricia Canetti às 3:22 PM


outubro 11, 2016

Diálogos com a obra de Maria Lucia Cattani no Instituto de Artes da UFRGS, Porto Alegre

Diálogos com a obra de Maria Lucia Cattani apresenta seminário, lançamento de publicações e recital; atividades buscam preservar a memória e render homenagem à Maria Lucia Cattani. Tem entrada franca sem necessidade de inscrição prévia e fazem parte da programação comemorativa aos 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do IA/UFRGS.

11 de outubro de 2016, terça-feira, 15h, 18h e 18h30

Instituto de Artes da UFRGS
Rua Senhor dos Passos, 248, Porto Alegre

PROGRAMAÇÃO

15h30: Seminário Múltiplos e Únicos, busca estabelecer um diálogo com a obra de Maria Lucia Cattani, em exposição, Gestos e repetições, na Pinacoteca do IA/UFRGS até o dia 27 de outubro.
com Carlos Martins, Jailton Moreira e Paulo Silveira

18h: lançamento das publicações “Vaga-Lume: mostra de vídeo experimental (2002-2011)” e “A última parede”
com organização de Elaine Tedesco e Lu Rabello, e de Nick Rands, respectivamente

Local: Pinacoteca do IA/UFRGS, no primeiro andar

18h30: "Lecture-recital: 'Scattered Loves', de Celso Loureiro Chaves, e 'Um ponto ao Sul', de Maria Lucia Cattani: intersecções composicionais", com Celso Loureiro Chaves e vídeo de Marta Biavaschi

Local: Auditorium Tasso Corrêa do IA/UFRGS, no térreo

Ingresso: entrada franca

A exposição Maria Lucia Cattani: Gestos e Repetições tem curadoria de Maristela Salvatori e Paulo Silveira e traz a público um panorama da obra Maria Lucia Cattani (1958 - 2015), importante artista que integrou uma geração que ganhou projeção a partir dos anos oitenta e atuou como pesquisadora e docente no IA/UFRGS, tendo integrado o corpo docente de seu Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGAV) de 1991 até sua aposentadoria, em 2013.

As atividades buscam preservar a memória e render homenagem à Maria Lucia Cattani. Tem entrada franca sem necessidade de inscrição prévia e fazem parte da programação comemorativa aos 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do IA/UFRGS. Promovidas pelo Grupo de Pesquisa Expressões do Múltiplo/CNPq, tem apoio da Pró-Reitoria de Extensão e da Pró-Reitoria de Pesquisa da UFRGS, da ADUFRGS Sindical e do Atelier de Massas.

Publicado por Patricia Canetti às 1:50 PM


outubro 2, 2016

Encontros Entreolhares com Vídeo nas Aldeias e Jorge Menna Barreto no Itaú Cultural e Bienal, São Paulo

A série Entreolhares promove encontros tomando como ponto de partida o tema Incerteza Viva da 32ª Bienal de São Paulo

Em parceria do Itaú Cultural e a 32ªBienal de São Paulo, em outubro a série de formação em artes visuais, organizada pelo instituto, realiza duas conversas com assuntos provocados por artistas que têm obras em exposição na Bienal e pelo tema que lhe dá nome, Incerteza Viva; o primeiro encontro parte da videoinstalação realizada pelo Vídeo nas Aldeias e traz integrantes da Frente 3 de Fevereiro para tratar das ferramentas audiovisuais utilizadas por coletivos para reivindicar novos protagonismos sociais; o segundo, aborda o ativismo alimentar e de cultivo, assunto estimulado pela obra do artista Jorge Menna Barreto


Nos dias 5 e 20 de outubro, o Itaú Cultural oferece mais dois encontros da série de formação em artes visuais Entreolhares. Dando continuidade à parceria com a Bienal de São Paulo o foco está em temas estimulados por obras exibidas na 32ª edição desta mostra internacional, este ano chamada Incerteza Viva. No dia 5 de outubro (quarta-feira), às 20h, o encontro O Potencial do Vídeo para Novas Dinâmicas Sociais é realizado no instituto para debater protagonismos sociais nas produções audiovisuais sobre a causa indígena e afrodescendente. A conversa é ilustrada por meio da videoinstalação do Vídeo nas Aldeias, exibida na Bienal e por trabalhos de integrantes do coletivo Frente 3 de Fevereiro. Em 20 de outubro (quinta feira), às 20h, desta vez na cozinha da exposição no prédio do parque Ibirapuera, o bate-papo é O ato de comer como um ato político, inspirado na obra-restaurante Restauro, presente na mostra e apresentada pelo próprio artista Jorge Menna Barreto.

Ambos os encontros contam com interpretação em Libras, a Língua Brasileira de Sinais. O primeiro deles, O Potencial do Vídeo para Novas Dinâmicas Sociais, debate como as ações coletivas encontram na produção audiovisual e nos recursos midiáticos um ponto de resistência e são potencial ferramenta para reivindicar novos protagonismos sociais. Para isso, reúne a coordenadora nas oficinas de formação audiovisual junto a comunidades indígenas do Vídeo nas Aldeias Ana Carvalho e o importante líder indígena Hunikuin e também assessor de assuntos indígenas do governo do Acre, Zezinho Yube.

Os dois são membros do Vídeo nas Aldeias, ação precursora na produção audiovisual indígena no Brasil presente nesta Bienal com a videoinstalação O Brasil dos Índios: um arquivo aberto. A eles se unem o diretor da editora e produtora Invisíveis Produções, Daniel Lima, que também é membro da Frente 3 de Fevereiro, grupo transdisciplinar de pesquisa e ação direta acerca do racismo na sociedade brasileira. A Atriz-MC, diretora musical, pesquisadora e slammer Roberta Estrela D'Alva, uma das fundadoras do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e integrante da Frente 3 de Fevereiro, completa o grupo. A mediação é da pesquisadora, curadora e professora de arte contemporânea, Ana Maria Maia, que este ano lançou o livro Arte-veículo: intervenções na mídia de massa brasileira.

No dia 20, às 20h, o Entreolhares acontece na cozinha do Pavilhão da Bienal, instalada no primeiro andar do prédio. O artista e pesquisador Jorge Menna Barreto conduz a conversa sobre seu projeto Restauro, que faz parte das obras de Incerteza Viva. Sob o tema O ato de comer como um ato político, ele se aprofunda em sua própria obra, relacionando a noção de artes visuais com o meio ambiente, por meio do ativismo alimentar e sugerindo outras perspectivas para a relação entre a alimentação e as formas de cultivo do que se come.

A atividade consiste em uma visita pelo espaço de Restauro, a degustação de um pote-paisagem e uma conversa aberta com o público sobre o processo de criação e funcionamento da obra. Participam da conversa Fabiana Sanches da Escola Como Como de Ecogastronomia, Carol Tonetti do Grupo Inteiro, Vitor Braz do Gi Restaurante, Neka Menna Barreto (nutricionista e chef de cozinha) e Marcelo Wasem (músico e artista), todos colaboradores do projeto.

Dia 5 de outubro (quarta-feira), às 20h
O Potencial do Vídeo para Novas Dinâmicas Sociais
Com Vídeo nas Aldeias (Ana Carvalho e Zezinho Yube),
Roberta Estrela D’Alva e Daniel Lima.
Mediação: Ana Maria Maia
Sala Vermelha – Itaú Cultural
70 vagas
Retirada de ingressos na bilheteria
Público preferencial: duas horas antes
Público não preferencial: uma hora antes
Informações: 11-2168-1777
Classificação indicativa: ​livre
Interpretação em Libras

Dia 20 de outubro (quinta-feira), às 20h
O ato de comer como um ato político
Jorge Menna Barreto
Pavilhão da Bienal – Cozinha (1º piso)
40 vagas
Retirada de senha uma hora antes da atividade
Classificação indicativa: ​livre
Interpretação em Libras

Publicado por Patricia Canetti às 7:07 PM